Manifestação dos servidores da Saúde fecha a Ponte General Dutra;


    Ato nesta manhã contra o aumento da carga horária da categoria. Na manhã desta segunda-feira (07), centenas de servidores da Saúde de Campos protestam na subida da Ponte General Dutra e impedem o tráfego de veículos na BR-101 (sentido Campos-Vitória). 

Os manifestantes bloquearam o acesso à ponte ateando fogo em pneus. Entre as reivindicações dos servidores, está o descumprimento do que foi recomendado pelo Ministério Público (MPRJ), que suspendeu a implantação imediata do aumento da carga horária. 
  A manifestação durou cerca de uma hora e a ponte foi reaberta por volta das 10h30 após negociação com a polícia. Segundo o Sindicato Profissionais dos Servidores Públicos (Siprosep), os trabalhadores estariam cumprindo com 40 horas semanais, quando o correto seriam 30h. “A prefeitura não ouviu o sindicato e os servidores sobre a carga horária. 
  O governo não quer respeitar a nossa carga horária”, afirmou Sérgio Almeida, acrescentando: ““Estaremos na sessão da Câmara Municipal nesta terça feira, dia 8, caso o prefeito Rafael Diniz não nos receba para que a administração cumpra aquilo que está acordado”. 
   O presidente do Sindicato dos Médicos, José Roberto Crespo, marcou presença no ato e disse que reconhece que há uma dificuldade estrutural e de materiais. “Apesar disso, penso que é preciso um mutirão da administração no sistema de saúde, e eu já disse isso ao prefeito Rafael Diniz”, disse Crespo. 
   SERVIDORA E PRESIDENTE DO SINDICATO DO HFM 
    Adriana Viana, que trabalha há 13 anos no setor de internação, na área da administração do Hospital Ferreira Machado falou ao Campos 24 Horas.

   “Do mês passado para cá, o governo começou a a querer mexer e tirar o que a gente tem. Nossa escala há mais de 16 anos é 12/60 e agora ele quer 12/36. De 30 horas ele quer que vá para 40h. Nós fomos ao Ministério Público na semana passada e nos foi dado o prazo de 30 dias para continuar nas 30h e provar que nunca fizemos 40h. Amanhã será votada na Câmara a retirada da nossa gratificação”, disse a servidora. O presidente da Associação dos Funcionário do Hospital Ferreira Machado, Durval Almeida, também destacou a retirada da gratificação.” O prefeito quer retirar a gratificação dos servidores e aumentar a carga horária. Mexendo com servidores do Hospital Ferreira Machado está mexendo com a população. O que a gente quer é ser ouvido e que seja cumprido o que foi prometido”, afirmou Durval. 
  NOTA DA PREFEITURA 
 A Procuradoria Geral do Município informou que em relação aos profissionais concursados da Saúde, o município tem buscado cumprir o que determina a lei e vem analisando caso a caso, junto ao Ministério Público (MP). Diversas reuniões vêm sendo realizadas entre o Prefeito Rafael Diniz e representantes dos servidores, onde a prioridade é manter o diálogo permanente e transparente buscando, juntos, os melhores caminhos para que as necessidades dos servidores sejam atendidas e os serviços prestados à população sejam feitos com excelência.
Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.