Bombons envenenados: veja perguntas e respostas sobre o crime


Quem é quem na história? Qual foi o veneno usado? O que motivou o crime? Como a polícia chegou até a suspeita? Confira esses e outros pontos.

 

 

A polícia prendeu na madrugada desta quinta-feira (25) Susane Martins da Silva, a principal suspeita de mandar os bombons envenenados que mataram Lindaci Viegas Batista de Carvalho, no último sábado (20), no Rio de Janeiro. Segundo as investigações da 20ª DP (Vila Isabel), Susane matou Lindaci por ciúmes por causa de um ex-namorado em comum.

A reportagem separou algumas perguntas e respostas sobre o crime.

1. Quem é quem na história?

A vítima: Lindaci Viegas Batista de Carvalho, 54 anos, cuidadora de idosos
A suspeita: Susane Martins da Silva, 49 anos, mora em São João de Meriti, na Baixada Fluminense;

O ex-namorado em comum: Mario Sérgio, dono de uma vidraçaria em Vila Isabel; preso por outro crime;
O motoboy: Lucas David, contratado em Acari para levar os bombons a Lindaci e peça-chave para elucidar o crime.

O ex-marido de Lindaci, pai dos dois filhos adolescentes dela, cujo nome não foi revelado, que chegou a brincar ter sido ele o remetente dos bombons.

 

2. Quem namorou quem e quando?

A polícia apurou que, depois da separação com o pai dos filhos — com quem ainda mantinha boa relação —, Lindaci conheceu Mario Sergio e ficou com ele por cerca de 4 anos.

O namoro entre Lindaci e Mario Sergio terminou, mas a amizade continuou — tanto que Lindaci indicou o endereço da vidraçaria dele para o motoboy deixar os bombons.

 

Fernanda, sobrinha de Lindaci, contou ao “Encontro com Patrícia Poeta” desta quinta-feira que a tia tinha voltado com Mario Sergio.

 

Outros parentes afirmaram à polícia que os dois não estavam mais juntos e citam o fato de Mario Sergio estar preso (entenda mais abaixo).

 

A 20ª DP considera que, depois do namoro com Lindaci, Mario Sergio iniciou um relacionamento com Susane que durou dois anos “entre idas e vindas”. Atualmente, os dois estavam separados.

 

Segundo as investigações, Susane insistia em voltar com Mario Sergio e acreditava que o ex estava novamente com Lindaci.

3. O que motivou o crime?

O delegado Fábio Souza contou ao Bom Dia Rio desta quinta-feira que Susane “queria reatar o relacionamento e se casar” com Mario Sergio. “Ele falou que não ia reatar, não casaria, e ela acreditava que o motivo de isso não acontecer seria um relacionamento que ele teria com a Lindaci”, detalhou.

 

4. Como Lindaci morreu?

Lindaci passou mal logo após comer os bombons no sábado. De acordo com a irmã, ela entortava os braços e revirava os olhos. A cuidadora foi socorrida por policiais militares e levada para o Hospital do Andaraí, aonde já chegou morta.

 

Lenice disse ainda que um funcionário do Instituto Médico-Legal indicou, informalmente, a presença de chumbinho no corpo da vítima.

 

Segundo o delegado Fábio Souza, o Instituto de Criminalística Carlos Éboli detectou que a “substância tóxica” era “uma espécie de chumbinho muito mais forte”.

 

5. Qual foi o veneno usado?

A polícia ainda não sabe.

Na casa de Susane, agentes apreenderam uma pistola Taurus 9mm e uma embalagem aberta de um antipulgas para animais.

 

A bula do inseticida orienta “polvilhar pequenas quantidades no sentido contrário aos pelos do animal, evitando que o produto atinja os olhos, boca e focinho”.

Esse remédio seria encaminhado para a perícia, a fim de comparar com a toxina encontrada no corpo de Lindaci.

 

6. Por que Lindaci comeu os bombons?

Ao receber o chocolate e as flores das mãos do motoboy e ver que não havia remetente, Lindaci hesitou em comê-lo, pois estava recebendo ameaças de Susane.

Lindaci passou a ligar para conhecidos a fim de descobrir quem tinha enviado o pacote. Até que o ex-marido, pai dos filhos dela, brincou ter sido ele o remetente. A mulher então relaxou e, confiando no ex, abriu a embalagem e comeu.

7. Mais alguém comeu do chocolate?

Sim, um dos filhos da Lindaci. Ele, no entanto, cuspiu o pedaço ao estranhar o gosto e não passou mal.

 

8. Que ameaças Lindaci recebeu?

A família mostrou um print de uma conversa enviada a Lindaci em que Susane posa com uma arma e escreve: “Eu falo pouco, mas faço muito”.

Essa arma foi apreendida.

 

9. Como a polícia chegou até a suspeita?

Com a repercussão do caso, na quarta-feira (24), o motoboy Lucas David foi até a 39ª DP (Pavuna) avisar ter sido ele o entregador da encomenda para Lindaci.

 

Lucas então foi para a 20ª DP, onde deu detalhes do pedido.

O mototaxista contou à polícia ter sido abordado em Acari, na Zona Norte do Rio, por um “adolescente menor de idade”, para entregar uma caixa de bombons e flores a Lindaci. Pela corrida, cobrou R$ 90 e recebeu R$ 100 — em espécie.

A polícia diz que esse jovem é filho de Susane. Ainda segundo a 20ª DP, Susane veio de Meriti para Acari para não levantar suspeitas.

 

“Na imagem [de uma câmera de segurança] dá para ver o menino 15 minutos antes caçando um motoboy. Eu cheguei naquele momento, peguei a entrega, fiz. Até então, apaguei o número que me deram, fiz a entrega e vim embora”, declarou Lucas.

“Aí, hoje de manhã [quarta-feira], quando eu acordei, vi que uma senhora tinha morrido por causa de um bombom. Que tinha ganhado umas flores e bombons de aniversário. Aí eu: ‘Realmente quem fez essa entrega fui eu. Eu vou na delegacia’. Até então, antes de ver essa reportagem, tinha recebido umas ameaças dessa pessoa que eu não sabia quem era”, destacou.

10. Como foi a prisão?

Lucas foi liberado após depor como testemunha e voltou para Acari. Horas depois, o motoboy disse ter sido procurado por uma “mulher loira” — era Susane.

“Liguei para o delegado: ‘Estou com uma mulher aqui que veio querer pegar meu telefone para poder me dar outro e quebrar meu telefone’. Os meninos [outros mototaxistas] seguraram ela aqui. Ela falou que não podia ir pra delegacia senão ela ia morrer”, narrou Lucas.

Fábio Souza disse também que, “quando começaram a divulgar essa notícia [da morte da Lindaci], ela [Susane] ficou com receio e começou a ameaçar o mototaxista”. “Não era para falar nada, porque senão ia acontecer alguma coisa com ele”, descreveu o delegado.

11. O motoboy é considerado suspeito?

O delegado acredita que não.

“Fui numa entrega inocente. Vim aqui comprovar meus erros, os erros que não são meus. Estou totalmente certo de que essa mulher [Susane] fez uma barbaridade e quis me prejudicar. Prejudicou uma família em que veio a óbito uma senhora. Sou inocente e vim aqui provar”, declarou Lucas.

12. O ex-namorado é considerado suspeito?

Fábio Souza também acredita que Mario Sergio não tem envolvimento.

 

13. Por que o ex-namorado está preso?

Segundo a polícia, Mario Sergio foi preso tempos atrás por supostamente agredir Susane.

O vidraceiro foi solto, mas acabou detido novamente, dentro da Lei Maria da Penha, porque teria descumprido uma medida protetiva contra Susane.

A 20ª DP, porém, investiga se Susane armou contra Mario Sergio para que ele fosse novamente encarcerado. O irmão dele contou, em depoimento, que Susane entrou no Facebook com a conta do ex-namorado e por lá mandou mensagens com ameaças para o perfil dela.

“Ela [Susane] usou o Facebook dele [Mario Sergio] para mandar mensagem para ela com ameaça — e usou essa mensagem para levar até o Judiciário e por isso ele foi preso”, afirmou o delegado.

 

14. O ex-marido é considerado suspeito?

O pai dos filhos da vítima disse ter feito uma brincadeira.

15. Mario Sergio é inocente da agressão contra Susane?

A polícia ainda vai investigar.

16. Susane vai responder por que crimes?

Ela vai responder por homicídio duplamente qualificado, provocado por envenenamento e motivo fútil.

Mas a tipificação do crime pode ser agravada por ela ter envolvido o filho, menor de idade.

“Ela pode responder por um outro crime, que é a corrupção de menores, porque, apesar de ser filho dela, está corrompeu, induziu o menor a com ela praticar o crime. Isso é uma coisa que vai ser ainda avaliada”, disse o delegado.

 

17. O que Susane disse em defesa?

Segundo o delegado Fabio Souza, ao ser presa, Susane chorou, “contou histórias desconexas, disse que foi obrigada por alguém, mas não negou o crime”.

A reportagem não conseguiu localizar a defesa de Susane.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU