RJ vai ter 5 conjuntos de presídios verticais para até 25 mil presos, diz governo


Três conjuntos estão planejados para o Complexo de Gericinó, na Zona Oeste, um em Volta Redonda, no Sul Fluminense, e outro em local ainda não definido. Unidades recebem presos de baixa periculosidade.
O governo do Rio de Janeiro divulgou mais detalhes sobre o projeto de construção de conjuntos de presídios verticais. Imagens dos prédios também foram divulgadas. Ao todo, o projeto inclui 5 presídios, que vão receber até 25 mil detentos.

Como antecipou o jornal O Globo, 86 presos da Operação Lava Jato que estão na Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, no Complexo de Gericinó, se encaixam nos requisitos do projeto e serão realocados para os conjuntos. Detentos provisórios também são esperados nos Conjuntos Penais Verticais (CPVs).

O planejamento inclui cinco conjuntos, sendo três no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste, um em Volta Redonda, no Sul Fluminense, e outro em local ainda não definido.

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), as unidades de CPV buscam receber presos de baixa periculosidade e que não fazem parte de organizações criminosas. Além de um projeto de inserção no mercado de trabalho, essas áreas também contam com escola e atendimento médico.

Cada conjunto conta com três edifícios que comportam entre 3.456 e 5 mil detentos. Dos 11 andares dos prédios, nove são com celas e dois têm salas de controle, refeitório e estrutura administrativa.

Segundo informações divulgadas pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), cada conjunto tem o custo, em média, de R$ 82 milhões. Uma unidade prisional horizontal comum que comporta entre 400 e 600 internos custa cerca de R$ 40 milhões, ainda de acordo com a Seap.
Melhor condição de reabilitação
Para o Secretário de Estado de Administração Penitenciária, Alexandre Azevedo, o Conjunto Penal Vertical vai proporcionar melhores condições de reabilitação aos detentos.

O secretário informou que um grupo de trabalho com servidores da Seap e da Secretaria de Infraestrutura e Obras se encontra, semanalmente, para realizar reuniões sobre as necessidades dos conjuntos.
Falta de vagas
A Seap informou que o Conjunto Penal Vertical é uma solução para o desafio de déficit de vagas no sistema penitenciário. Cerca de 1.900 vagas foram criadas em 2019 com a criação de unidades, como o Instituto Penal Santo Expedito, em Bangu, na Zona Oeste, e a reforma de andares do Instituto Penal Oscar Stevenson, em Benfica, na Zona Norte.

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU