Sema prepara força-tarefa para minimizar o número de queimadas em SFI


Vegetação seca, baixa umidade e o calor intenso ocorridos nos últimos meses em São Francisco de Itabapoana (SFI) fez aumentarem quase 100% o número de registros de queimadas na vegetação da região. O relatório é dos últimos quatro meses e foi divulgado nesta semana pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil (Sema) com dados comparados ao mesmo período do ano passado.

Conforme levantamento, em 2018 foram registradas sete ocorrências, enquanto que, em 2019, o número aumentou para 13, sendo algumas delas de grande porte, na qual foi necessário acionar o Grupamento de Bombeiros Militar, em Campos dos Goytacazes (5º GBM), como o caso do incêndio florestal ocorrido na Estação Ecológica Estadual de Guaxindiba (EEEG), em regiões de Área de Preservação Permanente (APP) e em locais com vegetação nativa da cidade.

A maior parte das ocorrências de fogo no município está relacionada à queima de lixos domésticos, resíduos sólidos, queimadas em gramíneas (gramas) e área brejosa, sendo necessário utilizar pela equipe os abafadores de incêndio. A secretária municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil, Luciana Soffiati, comentou sobre os prováveis motivos do aumento da queimada no município.

“É algo que não depende de nós e podem ser de diversas causas, como os longos períodos de estiagem, coincididos em grande parte, com tempo seco e dias de elevados níveis de temperatura. Esses ambientes são propícios a ocorrerem queimadas. Há também imprudências não intencionais de pessoas que queimam seus próprios lixos ou jogam pontas de cigarros acessas, o que acaba provocando queimadas de pequeno, médio ou até grande porte”, detalhou.

Atitude – Para minimizar as ocorrências, a prefeita de SFI e Soffiati se reuniram para discutir sobre o assunto. “Graças ao apoio da prefeita, iremos apostar na conscientização para auxiliar nesse processo e intensificaremos as palestras nas escolas, realizaremos ações em pontos estratégicos da cidade, com a distribuição de folders informativos. Além disso, a fiscalização na região será ampliada para alertamos as pessoas sobre os riscos das imprudências”, antecipou a secretária.
Sema prepara força-tarefa para minimizar o número de queimadas em SFI
por Bianca RodriguesMeio Ambiente
Vegetação seca, baixa umidade e o calor intenso ocorridos nos últimos meses em São Francisco de Itabapoana (SFI) fez aumentarem quase 100% o número de registros de queimadas na vegetação da região. O relatório é dos últimos quatro meses e foi divulgado nesta semana pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil (Sema) com dados comparados ao mesmo período do ano passado.

Conforme levantamento, em 2018 foram registradas sete ocorrências, enquanto que, em 2019, o número aumentou para 13, sendo algumas delas de grande porte, na qual foi necessário acionar o Grupamento de Bombeiros Militar, em Campos dos Goytacazes (5º GBM), como o caso do incêndio florestal ocorrido na Estação Ecológica Estadual de Guaxindiba (EEEG), em regiões de Área de Preservação Permanente (APP) e em locais com vegetação nativa da cidade.

A maior parte das ocorrências de fogo no município está relacionada à queima de lixos domésticos, resíduos sólidos, queimadas em gramíneas (gramas) e área brejosa, sendo necessário utilizar pela equipe os abafadores de incêndio. A secretária municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil, Luciana Soffiati, comentou sobre os prováveis motivos do aumento da queimada no município.

“É algo que não depende de nós e podem ser de diversas causas, como os longos períodos de estiagem, coincididos em grande parte, com tempo seco e dias de elevados níveis de temperatura. Esses ambientes são propícios a ocorrerem queimadas. Há também imprudências não intencionais de pessoas que queimam seus próprios lixos ou jogam pontas de cigarros acessas, o que acaba provocando queimadas de pequeno, médio ou até grande porte”, detalhou.

Atitude – Para minimizar as ocorrências, a prefeita de SFI e Soffiati se reuniram para discutir sobre o assunto. “Graças ao apoio da prefeita, iremos apostar na conscientização para auxiliar nesse processo e intensificaremos as palestras nas escolas, realizaremos ações em pontos estratégicos da cidade, com a distribuição de folders informativos. Além disso, a fiscalização na região será ampliada para alertamos as pessoas sobre os riscos das imprudências”, antecipou a secretária.

A responsável pela Sema adiantou também que a previsão para dar início a esse trabalho será nas próximas semanas. Ela ainda afirma que tais iniciativas irão alcançar desde crianças até o público mais idoso. “Além disso, também iremos estender as atividades durante o verão de 2020 e desenvolver um trabalho de conscientização junto aos turistas”, planejou.

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU