Consultor de segurança de Witzel preso em operação contra policiais acusados de extorsão


A Corregedoria da Polícia Civil realizou, na manhã da quinta-feira (28/02/19), uma operação contra policiais civis acusados de praticarem extorsão. Um dos alvos da ação, que é a terceira fase da Operação Quarto Elemento (de setembro de 2017), é o policial Flavio Pacca Castello Branco, 57 anos, que é consultor de segurança do governador Wilson Witzel (PSC).

 Pacca – que já recebeu honraria de Flávio Bolsonaro – foi preso em casa, na Glória, na Zona Sul do Rio, onde os agentes encontraram várias armas registradas. Ele deixou o local por volta das 8h30, com o rosto coberto.
 Além de Pacca, a operação ainda mira os também policiais Helio Ferreira Machado, Thiago Bacelo Pereira e Ricardo da Costa Canavarro, conhecido como Ricardinho, que já está preso. 
 Defensor ferrenho da liberação do porte de armas, Flavio Pacca está na Polícia Civil desde 1999. Nas redes sociais, ele se define como conferencista, palestrante e consultor em perícia técnica de armas e munições, além de dizer ser atirador desportista desde 1986. De 1992 a 1995, ele foi colega de turma do governador Wilson Witzel no curso de Direito do Instituto Bennett, no Flamengo, Zona Sul do Rio.
 Nas últimas eleições, Pacca foi candidato a deputado federal pelo PSC, mesmo partido do governador. No pleito, ele obteve 4.118 votos e não foi eleito.
Redes sociais:
Flavio Pacca é ativo nas redes sociais. Em uma de suas últimas publicações, compartilhou uma mensagem pela volta da ética e da honestidade. “Tanta coisa antiga volta à moda. Mal posso esperar a volta da ética, da inteligência e da honestidade”, diz o texto. Ele costuma replicar, em sua conta no Twitter, publicações do escritor Olavo de Carvalho, de políticos da base aliada do presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ) e se envolver em discussões políticas.
Em nota enviada ao jornal O Dia, a assessoria do governador Wilson Witzel disse:
 “A prisão foi resultado de uma parceria da Corregedoria da Polícia Civil com o Ministério Público e mostra que o meu governo não tolera nenhum ato ilícito, seja de quem for. Que ele tenha seus direitos garantidos, como qualquer cidadão. Mas seja quem for que tenha cometido ou cometa algum ato ilícito ou de corrupção, esta pessoa será punida de acordo com a lei”.

 (Fonte: Jornal O Dia)

https://static.addtoany.com/menu/page.js

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.