Reviravolta: cunhada é suspeita de encomendar a morte de universitária


    Reviravolta no caso do assassinato da universitária Ana Paula Ramos(25 anos) que teve morte cerebral confirmada pelo Hospital Ferreira Machado: não se tratou de latrocínio (assalto seguido de morte). Na verdade, segundo a polícia, uma cunhada da vítima é suspeita de ser a mandante do crime. Para que a universitária Ana Paula fosse executada, a sua cunhada (mulher do irmão da vítima), uma bancária de inicial L., de 25 anos, teria usado um intermediário para contratar dois matadores por R$ 2,5 mil. 

   Policiais civis da 146ª DP/Guarus, policiais do Serviço Reservado (P2) e do GAT II, coordenados pelo delegado Luiz Mauricio Armond, chegaram à esta linha de investigação após a prisão do segundo suspeito de ser o matador de Ana Paula. Ele foi preso no final da noite desta segunda-feira(21), em uma casa da praia de Santa Clara, em SFI, para onde fugiu após o crime. A identificação dele é Wermison Carlos Sigmaringa Ribeiro, de 19 anos, conhecido como WC (na foto com a camisa do Vasco). Além de confessar o crime, ‘WC’ teria apontado como mandante do crime a cunhada da vítima. O suspeito disse também que ele e seu comparsa, que foi preso no dia do crime, receberam R$ 2,5 mil do intermediário.
    VÍTIMA FOI ATRAÍDA POR MANDANTE A polícia ainda apurou que a a mulher suspeita de ser mandante estava com a vítima na praça do Parque Rio Branco, perto do HGG, onde ocorreu o crime na noite do último sábado. Um dos matadores disse que a simulação do assalto não poderia ter ato falho. Inclusive, a mandante também deveria ser roubada. A polícia ficou surpresa com a forma fria como foi praticado o crime. A suspeita de mandante já havia dado R$ 2 mil adiantados, e estava com R$ 500,00 em dinheiro no dia do crime. A quantia foi levada na simulação do assalto e quitou o pagamento pelo crime. Como a suspeita de mandante não confessou, a polícia ainda não descobriu a motivação do crime.
    INTERMEDIÁRIO 
    Na manhã desta terça-feira, a polícia prendeu o suspeito de ter contratado os matadores. Trata-se de Marcelo Henrique Damaceno de Medeiros, de 25 anos, que foi preso no Parque Santa Clara. Na 146ª DP, ele teria confirmado que foi procurado pela cunhada a vítima e aceitou contratar os matadores. Marcelo alegou que não teria recebido dinheiro. A recompensa por ter contrato os matadores seria apenas o concerto do seu celular. Já a suspeita de ser mandante, negou a participação no crime. Ela prestou depoimento no final da noite desta segunda-feira. O primeiro matador já havia sido preso no último sábado, quando Ana Paula foi baleada na cabeça e no tórax na Praça do Parque Rio Branco, perto do HGG, em Guarus. Os dois matadores moram na conhecida Rua do Beco, no Parque Santa Rosa, local com grande número de prisões por tráfico de drogas. Os acusados foram enquadrados no artigo 121 do Código Penal, parágrafo 2°: Se o homicídio é cometido: I – mediante paga ou promessa de recompensa, ou por outro motivo torpe; IV – à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido; Feminicídio (Incluído pela Lei nº 13.104, de 2015) VI – contra a mulher por razões da condição de sexo feminino: (Incluído pela Lei nº 13.104, de 2015). 
    MORTE CONFIRMADA Uma fonte do Campos 24 Horas no Hospital Ferreira Machado(HFM) informou no final da noite desta segunda-feira(21) a morte cerebral da universitária Ana Paula Ramos, 25 anos, que foi baleada na cabeça e no tórax durante um suposto assalto, na noite do último sábado(19). No final da tarde desta segunda, a assessoria do Ferreira Machado havia informado ao Campos 24 Horas que Ana Paula não passou por cirurgia porque, no seu caso, não poderia, já que uma intervenção cirúrgica poderia levá-la a morte, em razão do seu quadro clínico. 
    O procedimento médico, em casos como esse, é de manter o paciente vivo, sedado e com ajuda de aparelhos, até que haja uma reação. Ana Paula estava cursando Marketing em uma universidade da cidade. Ela estava noiva e seu casamento estaria marcado para o dia 29 de outubro. Neste domingo (20) passado seria realizado seu “Chá de Lingerie”. Ainda nesta segunda-feira, parentes e amigos da paciente se reuniram em frente ao Hospital Ferreira Machado, em corrente de oração. 
     COMO ACONTECEU A jovem universitária Ana Paula Ramos levou três tiros durante um suposto assalto no início da noite deste sábado (19), por volta das 18h, na Rua Comendador Pinto, na Praça do Parque Rio Branco(atrás do HGG), na área Guarus, Campos. Ela levou um tiro na cabeça e dois no tórax. A reportagem do Campos 24 Horas manteve contato com a Polícia e com parentes e colegas de Ana Paula para apurar como ocorreu e o que ela fazia na praça do Parque Rio Branco, já que era moradora do Parque Eldorado. De acordo com as informações obtidas pelo Campos 24 Horas, a universitária foi ao Parque Rio Branco em companhia de dois parentes. Um parente de Ana Paula teria ido ao local verificar a obra de uma casa, enquanto ela e outro parente ficaram na praça do bairro. Foi neste momento em que chegaram bandidos. 
     De acordo com a polícia, dois bandidos de bicicleta anunciaram o assalto e exigiram o celular da universitária. Ao contrário do que foi anunciado, Ana Paula não teria reagido ao assalto. Na verdade, ela entregou seu celular aos bandidos e, em seguida, saiu correndo. Nesse momento, um dos bandidos disparou três vezes. A Polícia Militar realizou buscas e localizou um dos acusados, de iniciais I.M.S., de 19 anos(na foto), na Rua Capitão Menezes. Ele foi preso e autuado por tentativa de latrocínio. Por ter machucado a mão durante a fuga, o suspeito foi atendido no Ferreira Machado antes de ser levado para delegacia. Durante seu depoimento, o acusado negou a autoria, mas foi reconhecido por uma testemunha. A arma do crime ainda não foi encontrada. O acusado foi autuado e levado para a Casa de Custódia.
Fonte:Campos24horas
Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.