SFI recebe visita de representantes do Porto Central para definir rota de caminhões no município


    São Francisco de Itabapoana (SFI) recebeu nesta semana representantes do Porto Central, que será instalado na cidade de Presidente Kennedy (ES). O objetivo da visita foi discutir o melhor traçado rodoviário para o transporte das rochas que serão fornecidas por três pedreiras do município são franciscano até o local do empreendimento. 
     O grupo, formado pelas consultoras Penha Baião (engenheira) e Rafaela Enrique (geógrafa), além do advogado Odair de Melo Cardoso, foi recepcionado na sede da prefeitura pelo diretor-presidente da Empresa Municipal de Trânsito de São Francisco de Itabapoana (Emtransfi), coronel Eduardo Dias, e os secretários municipais Ilzomar Soares (Meio Ambiente e Defesa Civil) e Augusto Alves (Turismo, Indústria e Comércio). 
   “Neste primeiro momento, através do GPS, fizemos um trajeto às pedreiras de SFI que vão fornecer as rochas para o Porto Central: Caldeirão, Pedra Branca, no Morro do Mico, em Deserto Feliz; e Verde Areia, em Santa Luzia, com a marcação dos pontos críticos e iremos elaborar um mapa da rota traçada. Já na segunda reunião, vamos apresentar o levantamento com algumas propostas, para que o município valide, complemente ou altere”, ressaltou Penha. 
   Parte do trajeto dos caminhões que transportarão as rochas por SFI será realizada em rodovias estaduais e a outra por estradas municipais. “Vamos elaborar dois trajetos alternativos aos representantes do empreendimento, para que causem o menor impacto ao município, com melhor trafegabilidade e principalmente segurança. Nosso objetivo é preservar ao máximo os moradores das comunidades, evitando que os caminhões, em média carregados com 50 a 60 toneladas de rochas, passem por escolas, a fim de evitar acidentes”, ressaltou o coronel Eduardo Dias. 
   Augusto Alves alertou que o município de SFI tem impactos sazonais nas estradas durante o escoamento de produção, citando, por exemplo, a questão das carretas de cana-de-açúcar no período da safra e ainda o transporte de caminhões de abacaxi. Já Ilzomar mostrou-se preocupado para que o trajeto dos veículos com destino ao empreendimento capixaba não agrida a zona de amortecimento da área da Estação Ecológica de Guaxindiba, o que poderia ser extremamente prejudicial ao meio ambiente em SFI. 
  Porto CentralO Porto Central é um complexo industrial portuário multipróposito em desenvolvimento no município de Presidente Kennedy, sul do Estado do Espírito Santo, em uma área de aproximadamente 2.000 hectares. Trata-se de um porto de águas profundas com até 25 metros de profundidade, capaz de receber navios de grande calado. 
   O empreendimento será um porto que servirá grandes empresas dos setores de petróleo e gás, mineração, agrícola, de apoio à indústria offshore, assim como estaleiro e terminal de contêiner e carga geral que movimentarão cargas diversas como veículos, produtos siderúrgicos, coque de petróleo para cimenteiras, soja e fertilizantes, carvão, GNL, rochas ornamentais, etc. Atualmente, o porto aguarda a Licença de Instalação por parte do Ibama para iniciar as obras. 
   A expectativa é que o empreendimento, de cerca de R$ 5 bilhões, inicie as operações entre 2019 e 2020. Durante a obra, o empreendimento deve contratar 4,7 mil pessoas, previstas para serem concluídas em 10 anos. Ascom SFI
Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.