‘Alegre, sempre alto astral e adorava dançar’, descrevem familiares de turista do RJ que morreu em falésia em Pipa


“Alegre, sempre alto astral e adorava dançar”, essa é a forma como familiares de Jouber Manhães, de 68 anos, vão se recordar do turista que morreu nesta quinta-feira (10) após cair de uma falésia de 40 metros de altura na Praia de Pipa, no Rio Grande do Norte.

 

Jouber era casado, pai de dois filhos, e era um empresário conhecido e prestigiado na cidade de Campos dos Goytacazes, na região Norte do Rio de Janeiro, atuava no ramo de seguros.

 

Os familiares dizem que o jeito de Jouber chamava atenção e cativava as pessoas que conviviam com ele.

A família contou que Jouber estava seguindo um guia de turismo no trecho conhecido como “Chapadão”. Na primeira parada do passeio, o guia pediu para que as pessoas tirassem o capacete para tirar uma foto no pôr do sol. Jouber acabou ultrapassando o guia e fez um retorno para voltar para o grupo.

 

“Ele era o primeiro da fila, ele desviou porque acabou ultrapassando o guia, deve ter se apavorado com alguma coisa, e aí uma das rodas caiu”, relatou um amigo do empresário.

 

Viagem interrompida
O empresário e a família estavam em Pipa, no município de Tibau do Sul, para acompanhar a celebração de um casamento, que acontece no sábado (12).

 

Eles chegaram na quarta-feira (9) e voltariam para Campos dos Goytacazes, no dia 15. No momento do passeio, o empresário estava sozinho em um quadriciclo, e a esposa e filhos em outros veículos.

 

O fotógrafo Cláudio Leandro Teixeira presenciou o acidente do empresário. Segundo ele, o acidente aconteceu quando o turista tentava voltar após ultrapassar o guia que levava o grupo, no qual estavam a mulher e os dois filhos dele.

 

“Era a primeira parada do passeio, para o pessoal tirar foto. O guia parou distante da falésia. Eles param, orientam o pessoal a parar, tirar o capacete, e posicionam o quadriciclo para tirar foto. Só que em algum momento o rapaz desviou do guia, passou e o guia pediu pra ele retornar. Ele foi retornar, só que ao contrário, ao invés de fazer pra direita, fez pra esquerda. E assim acabou caindo na falésia”, contou.

 

 

Logo após a queda, o fotógrafo correu para tentar socorrer o turista.

 

“Na verdade o pessoal ficou sem reação de saber o que fazer. Eu fui o primeiro a descer. Quando eu cheguei lá, eu abri o capacete, que estava sufocando. E logo depois o filho conseguiu chegar lá em baixo”, contou.

 

‘”Em nenhum momento, ele conseguia dar nenhuma palavra. Só estava respirando mesmo. Nenhum movimento ele fazia, nem com o dedo”.

 

Ele contou que o filho retirou o capacete do pai e em seguida o empresário teve uma parada cardiorrespiratória.

“Ele teve uma parada de 1 minuto e meio mais ou menos. O filho conseguiu reanimá-lo novamente e ele retornou. Logo após, uns 20 minutos depois, ele não retornou mais”.

Outros acidentes
Esse não é o primeiro acidente que ocorre no trecho conhecido como Chapadão, na Praia de Pipa. Em setembro de 2020, uma turista grávida e o namorado perderam o controle do quadriciclo e caíram do Chapadão. Os dois foram resgatados conscientes.

Em novembro de 2021, um turista de Fortaleza, de 19 anos, também despencou de uma altura de 30 metros do Chapadão com um quadriciclo. Ele teve fraturas no fêmur e na coluna, passando por cirurgias após ser socorrido.

 

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU