RJ investiga 201 amostras suspeitas de terem a variante ômicron da Covid


A Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio da Subsecretaria de Vigilância e Atenção Primária à Saúde, informou neste sábado (1º) que 201 amostras de teste RT-PCR para Covid-19 suspeitas de terem a variante ômicron estão sendo investigadas no Rio.

Das amostras, 159 foram coletadas por unidades municipais de Saúde e serão sequenciadas por laboratório credenciado da Fiocruz. A previsão é que o resultado saia até o dia 7 de janeiro. As 43 amostras coletadas pela Rede DASA estão sendo sequenciadas pela própria rede. Até o momento, apenas um caso importado da variante ômicron foi confirmado.

Os casos suspeitos são de pacientes de 12 municípios de sete regiões de saúde do estado. Por enquanto, não foram encontradas amostras suspeitas nas regiões Noroeste e Centro Sul. Nessas áreas, a Vigilância estadual fará uma busca ativa de amostras de PCR para verificar se também há casos sugestivos para a variante ômicron.

 

A SES diz que a vigilância genômica ocorre independentemente do funcionamento dos sistemas de informações. Ela vem sendo realizada desde janeiro sem interrupção, seja pelo Projeto Corona-Ômica-RJ ou pelos laboratórios de referência.

 

A Fiocruz disponibiliza em seu site todos os dados das amostras analisadas, assim como a SES publica semanalmente um boletim da evolução das variantes da Covid-19 no estado. Desde o início do sequenciamento do vírus SARS-CoV-2 no estado, mais de 6 mil sequenciamentos já foram realizados.

 

Ainda de acordo com a SES, no mês de dezembro, o estado do Rio de Janeiro recebeu do MS mais de 600 mil testes de antígeno. Quase 240 mil já foram distribuídos aos municípios. O restante estará disponível a partir de segunda-feira (3). Quanto aos testes de RT-PCR, os kits de coleta são retirados no Lacen/RJ pelos municípios de acordo com as amostras entregues para análise.

O sequenciamento do coronavírus não é um exame de rotina nem de diagnóstico, ele é feito como vigilância genômica, para identificar modificações sofridas pelo vírus SARS-CoV-2 no estado e embasar políticas sanitárias.

Parte das amostras sequenciadas no estado são referentes ao projeto Corona-Ômica-RJ, parceria entre SES, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), Laboratório de Virologia Molecular da UFRJ, Laboratório Central Noel Nutels, Fiocruz e Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, correspondendo a maior parte das amostras sequenciadas. As demais são enviadas pelos municípios ao Lacen/RJ, seguindo os critérios da Nota Técnica 33/2021 da SUBVAPS-SES/RJ, que encaminha para o Laboratório de Referência de Vírus Respiratórios.

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU