Novos casos de Covid-19 são registrados em outras duas plataformas da Bacia de Campos


O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) informou a ocorrência de mais casos de Covid-19 a bordo de plataformas da Petrobras na Bacia de Campos. Os novos casos foram registrados nos últimos dias na P-47 e na P-35, ambas em operação no campo de Marlim.

Segundo o Sindipetro-NF, na P-47, 22 trabalhadores desembarcaram e, desses, já foram cinco casos confirmados até segunda-feira (30). Já na P-35, oito trabalhadores desembarcaram: quatro na sexta passada (27), dois no domingo (29) e outros dois nessa terça-feira (1), quando uma pessoa havia testado positivo e três deram negativo.

 

Na semana passada, a plataforma P-18, também operando no campo de Marlim, teve oito casos confirmados. Outras sete pessoas que tiveram contato com esses trabalhadores ainda estão sendo monitoradas.

 

 

“O Sindipetro-NF reivindica à Petrobras que reveja protocolos de testagem e faça a investigação epidemiológica dos casos pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), conforme recomendação do Ministério Público do Trabalho (MPT) de 21 de agosto de 2020. O sindicato já apresentou à empresa um protocolo que inclui a retestagem das pessoas a bordo para prevenir surtos, devido a falsos negativos, bem como a testagem no desembarque, para evitar que trabalhadores que eventualmente se contaminem nas plataformas, mas estejam assintomáticos, contaminem suas famílias”.

 

Em nota, a Petrobras informou que ocorreram desembarques pontuais por suspeita de Covid-19 nas plataformas citadas. “Sempre que um caso suspeito é identificado em unidade offshore, o colaborador com sintomas e todos os seus contactantes desembarcam para teste em terra, com acompanhamento das equipes de saúde da Petrobras e orientação para isolamento. São reforçadas as medidas de higienização e distanciamento na unidade e, preventivamente, podem ser realizados testes a bordo”.

 

A companhia destacou, ainda, que adota procedimentos robustos em todas as suas unidades desde o início da pandemia. “Todas as ações têm base em evidências científicas e orientações de autoridades sanitárias. Para unidades com confinamento, como plataformas, os procedimentos envolvem monitoramento de saúde desde 14 dias antes do embarque, quando os todos os colaboradores são acompanhados por equipes de saúde e orientados a ficar em casa e reportar qualquer sintoma.

 

 

Antes do embarque é realizado o teste RT-PCR, tipo de teste com maior confiabilidade disponível no mercado. A Petrobras investiu fortemente nas ações preventivas em suas instalações, incluindo uma das mais amplas estratégias de testagem da indústria”.

 

Segundo a Petrobras, já foram realizados mais de 350 mil testes para Covid-19 nos colaboradores de suas unidades próprias em todo o país, incluindo testes RT-PCR e testes rápidos (sorológicos) para inquérito epidemiológico. A estratégia de ampla testagem possibilita que o diagnóstico do quadro de saúde na companhia seja mais preciso do que o da sociedade em geral, uma vez que mesmo pessoas assintomáticas são identificadas e contabilizadas como casos confirmados.

 

“Com o aumento nos números de casos confirmados que vem sendo registrado pelas autoridades sanitárias em várias regiões do país, além das medidas preventivas já adotadas dentro das instalações e nos períodos pré-turno e pré-embarque, a Petrobras prorrogou o teletrabalho para todas as atividades que podem ser realizadas de forma remota até 31 de março de 2021; e também vem reforçando ações de conscientização e orientação para os colaboradores para que pratiquem as medidas de prevenção também nos seus momentos de folga”, complementa a nota.

 

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU