TJ nega pedido da prefeitura e mantém escolas particulares do Rio fechadas


Prefeitura tinha entrado com pedido de suspensão de segurança na quarta-feira (16), que foi negado pelo presidente do Tribunal de Justiça , Cláudio de Mello Tavares.

As escolas particulares do município do Rio de Janeiro seguem sem prazo definido para reabertura. O presidente do Tribunal de Justiça, Cláudio de Mello Tavares, negou nesta quinta-feira (17) o pedido de suspensão de segurança feito pela prefeitura do Rio.

 

 

Cláudio de Mello alegou que o caso está pendente no Supremo Tribunal Federal.

 

 

Em sua decisão, o presidente do TJ destaca ainda que a suspensão de segurança “é aquilo que os médicos chamam de remédio heroico, um remédio para situações desesperadas e extraordinárias, próprio para ser empregado exatamente contra decisão judicial, nas ações movidas contra o Poder Público ou seus agentes, no caso de manifesto interesse público ou de flagrante ilegitimidade, para evitar grave lesão à ordem, à saúde, à segurança e à economia pública”.

 

 

Mesmo com determinação da Justiça para que as escolas permaneçam fechadas, algumas instituições de ensino já voltaram a funcionar.

 

 

Pais e especialistas divididos
Pais, alunos e escolas ainda estão confusos. O infectologista Roberto Medronho, da UFRJ, teme a contaminação.

 

“O nosso grupo de trabalho emitiu uma nota técnica contrária ao retorno. Estudos têm mostrado que as crianças podem ser multitransmissoras, e isso pode contaminar funcionários, professores e também os seus familiares”, pontuou.

 

Já o também infectologista Alberto Chebabo diz que o ensino é uma “atividade essencial e importante para o desenvolvimento das crianças”.

 

“No momento que a cidade vive o processo de flexibilização, as crianças já estão sendo expostas de alguma forma a atividades que já estão ocorrendo”, argumentou.

 

 

“A volta das escolas é uma atividade essencial que deve voltar a ocorrer com toda a segurança. A escola deve ter protocolos rígidos, de distanciamento”, frisou.

 

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.