Câmara do Rio rejeita mais um pedido de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella


A Câmara de Vereadores do Rio rejeitou, nesta quinta-feira (17), mais uma vez um pedido de abertura de processo de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos). Foram 24 votos a 20.

 

 

O pedido foi protocolado na terça-feira (15) pelo PSOL com base na Operação Hades, do Ministério Público do Rio, que investiga um suposto “QG da Propina” na administração municipal.

 

Os autores do pedido suspeitam de improbidade administrativa, crime de responsabilidade e desvio de verbas públicas. A sessão começou às 15h e durou até cerca de 18h20.

 

 

Veja como votou cada vereador
VOTARAM NÃO:

Alexandre Isquierdo (DEM)
Carlos Bolsonaro (Republicanos)
Dr. Carlos Eduardo (Podemos)
Dr. Gilberto (PTC)
Dr. Jairinho (Solidariedade)
Dr. João Ricardo (PSC)
Dr. Jorge Manaia (Progressistas)
Eliseu Kessler (PSD)
Fátima da Solidariedade (Solidariedade)
Felipe Michel (Progressistas)
Inaldo Silva (Republicanos)
Jair da Mendes Gomes (PROS)
João Mendes de Jesus (Republicanos)
Leandro Lyra (Republicanos)
Major Elitusalem (PSC)
Marcleino D’ Almeida (Progressistas)
Marcelo Sicilliano (Progressistas)
Professor Adalmir (Progressistas)
Renato Moura (Patriota)
Rocal (PSD)
Tânia Bastos (Republicanos)
Vera Lins (Progressistas)
Zico (Republicanos)
Zico Bacana (Podemos)

VOTARAM SIM:

Átila A. Nunes (DEM)
Babá (PSOL)
Carlo Caiado (DEM)
Cesar Maia (DEM)
Dr. Marcos Paulo (PSOL)
Fernando William (PDT)
Italo Ciba (Avante)
Jones Moura (PSD)
Leonel Brizola (PSOL)
Luciana Novaes (PT)
Paulo Pinheiro (PSOL)
Professor Célio Luparelli (DEM)
Rafael Aloisio Freitas (Cidadania)
Reimont (PT)
Renato Cinco (PSOL)
Tarcísio Motta (PSOL)
Teresa Bergher (Cidadania)
Veronica Costa (DEM)
Wellington Dias (PDT)
Willian Coelho (DC)
IMPEDIDO

Jorge Felippe (DEM) – presidente da sessão
AUSENTES DA VOTAÇÃO

Junior da Lucinha (PL)
Luiz Carlos Ramos Filho (PMN
Marcelo Arar (PTB)
Paulo Messina (MDB)
Rosa Fernandes (PSC)
Thiago K. Ribeiro (DEM)
No início do mês, os vereadores já haviam rejeitado um pedido de impeachment com base na denúncia dos “Guardiões do Crivella”.

QG da Propina
A Operação Hades, realizada no dia 10, apreendeu o celular do prefeito Crivella e apura esquema de corrupção na Prefeitura.

As investigações, iniciadas no ano passado, partiram da colaboração premiada do doleiro Sérgio Mizrahy, preso pela Operação Câmbio, Desligo.

Segundo a delação, o operador do esquema era Rafael Alves. Rafael não possui cargo na prefeitura, mas tornou-se um dos homens de confiança de Crivella por ajudá-lo a viabilizar a doação de recursos na campanha de 2016.

Depois da eleição, o empresário emplacou o irmão na Riotur e, segundo o doleiro, montou um “QG da Propina”.

Mizrahy afirma que empresas que tinham interesse em fechar contratos ou tinham dinheiro para receber do município procuravam Rafael, com quem deixavam cheques. Em troca, ele intermediaria o fechamento de contratos ou o pagamento de valores que o poder municipal devia a elas.

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.