Suspeitos de envolvimento na morte de mulher e adolescente decapitados são presos em Campos, no RJ


Polícias Civil e Militar fazem operação na manhã desta sexta-feira (21) em Guarus para cumprir oito mandados de prisão. Polícia diz que não há ligação entre os dois assassinatos, mas afirma que eles foram praticados pelo mesmo grupo de criminosos.

As polícias Civil e Militar buscam cumprir oito mandados de prisão durante a “Operação Isis II” realizada na manhã desta sexta-feira (21) em Guarus, em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

 

Os alvos dos mandados são homens suspeitos de envolvimento na morte e decapitação de uma mulher, na localidade de Travessão, e de um adolescente de 17 anos.

 

De acordo com a polícia, não há ligação entre os dois assassinatos, mas as investigações apontam que eles foram praticados pelo mesmo grupo de criminosos.

 

Até as 10h, a polícia já havia prendido seis pessoas. Cinco em cumprimento aos mandados e um homem que foi preso em flagrante por porte de armas.

 

A operação conta com 30 policiais civis e 40 policiais militares.

 

Foram apreendidos um carro, uma moto e uma pistola 380.

 

As buscas são realizadas nas comunidades da Chatuba, Sapo I e Sapo III, todas na localidade de Guarus.

 

Relembre o caso
O corpo de uma mulher foi encontrado decapitado às margens da BR-101, na altura de Travessão, na manhã do dia 7 de agosto. A polícia passou a investigar o crime na 146ª DP.

 

A Polícia Rodoviária Federal acreditava que a mulher tinha sido morta em outro lugar e o corpo e a cabeça deixados no local, devido a ausência de sangue no solo.

 

 

Na semana seguinte, no dia 11 de agosto, moradores encontraram uma cabeça que tinha sido jogada por um homem de moto. A cabeça estava enrolada em um saco de cimento.

 

A polícia foi acionada e iniciou as buscas. A vítima foi identificada como um adolescente de 17 anos, Guilherme Gomes Bravo.

 

De acordo com uma tia de Guilherme, o jovem tinha saído de casa para visitá-la, como sempre fazia aos finais de semana, mas acabou nunca chegando.

 

O corpo de Guilherme foi encontrado no dia 15 de agosto em uma estrada na localidade de Brejo Grande.

 

Familiares alegam que a vítima não tinha nenhum envolvimento com crime, e acreditam que ele tenha sido morto por engano. De acordo com a polícia, Guilherme não tinha ficha criminal.

 

Além do sofrimento pela perda do adolescente, a família ainda enfrentou a espera para conseguir enterrar o jovem, já que sem encontrar o corpo não poderia ter o sepultamento.

 

A família recebeu dois atestados de óbito. Um para a cabeça e outro para o corpo.

 

O enterro do jovem foi realizado na terça-feira (18).

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.