Dois vigilantes são assassinados dentro do IFF Guarus


Dois vigilantes foram mortos a tiros dentro do campus Guarus do Instituto Federal Fluminense (IFF), na madrugada desta sexta-feira (14), em Campos. As vítimas foram identificadas como Bruno Santos Rosa e Raul César Gomes Teixeira. Ainda não há informações sobre motivação e autoria do duplo assassinato, porém o crime reforça que a violência voltou a assustar a área de Guarus.

 

Violência volta a assustar Guarus

A Federação Estadual dos Vigilantes e o Sindicato dos Vigilantes do Rio de Janeiro lametaram as mortes. “A Federação Estadual dos Vigilantes e o Sindvig-RJ lamentam profundamente a morte dos irmãos de farda de Campos. A diretoria do Sindvig-RJ se solidariza com os amigos e familiares dos vigilantes. O Sindvig Campos está acompanhando o caso de perto e se pôs à disposição dos familiares no que for preciso”, informou em nota postada em rede social.

O caso é investigado pela 146ª Delegacia de Polícia, de Guarus. Os corpos foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML).
A equipe de reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do IFF e aguarda posicionamento.

Recentemente, a Folha chegou a publicar matéria sobre a violência em Guarus, que voltou a assustar após recente queda histórica. Em apenas um final de semana, quatro pessoas foram assassinadas, duas delas decapitadas. Na ocasião, o delegado da 146ª DP, Pedro Emílio Braga, e o comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM), telente-coronel Luiz Henrique Barbosa, garantiram que estão dando prioridade aos casos e que as investigações estão em estágio avançado.

 

Período sem homicídios 

No início de junho, o 8º BPM e a 146ª DP comemoraram a marca de um mês sem registro de homicídios na área de Guarus, o que não ocorria havia pelo menos 20 anos.
De acordo com o delegado Pedro Emílio e o comandante Luiz Henrique, o resultado inédito foi fruto do trabalho desenvolvido pelos profissionais da segurança pública, aliado aos efeitos colaterais da pandemia do novo coronavírus.

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.