Crivella diz que prefeitura manterá esquema de reabertura, apesar de liberações feitas pelo estado


O governo do estado divulgou na sexta, em decreto, uma série de flexibilizações das medidas de isolamento social, já valendo a partir de sábado (6). A prefeitura da capital, porém, tem um plano de reabertura em seis fases, avaliadas de 15 em 15 dias.


O prefeito Marcelo Crivella afirmou neste domingo (7) que a cidade do Rio vai manter seu cronograma de reabertura de medidas de isolamento social contra o novo coronavírus, apesar das recomendações do governo do estado na última sexta-feira (7).

 

O governo do estado divulgou na sexta, em decreto, uma série de flexibilizações das medidas de isolamento social, já valendo a partir de sábado (6). A prefeitura da capital, porém, tinha um plano de reabertura em seis fases, avaliadas de 15 em 15 dias.

 

A abertura dos shoppings, por exemplo, foi autorizada pelo Estado desde sábado. Mas na cidade do Rio, segundo o plano, só acontece a partir do dia 17. Já os bares só abririam normalmente na capital dia 2 de julho, mas tiveram a reabertura permitida pelo decreto estadual. Os templos religiosos tiveram a reabertura permitida nos dois planos, mas uma decisão judicial a questiona.

 

“Há algumas recomendações do governo do estado que já estamos seguindo, como por exemplo a abertura dos templos. Há outras, que estão numa fase mais adiantada e que, por unanimidade, a decisão do conselho foi que nós mantivéssemos o planejamento da prefeitura e que serão atendidas, mas dentro daquela ordem cronológica e debaixo dos parâmetros que foram atendidos antes”, disse Crivella.

 

“A gente tem uma preocupação grande de retrocessos, de recaídas. Nesses momentos em que nós estamos conseguindo, num nível de aprendizado grande da classe médica, enfrentar essa doença, reduzir o número de óbitos, diminuir a permanência das pessoas nos leitos de enfermaria e de UTI, chegando equipamentos, o Rio de Janeiro podendo ajudar outros municípios, uma abertura ampla, geral e irrestrita poderá nos levar a uma situação que nós não queremos ter de novo”, disse Crivella, referindo-se a maio.

 

Subsecretário de saúde, Jorge Darze afirmou que o decreto surpreendeu porque, segundo ele, não havia nenhum estudo anterior a assinatura que pudesse dar sustentabilidade para as liberações feitas pelo estado sexta.

 

Segundo a prefeitura, no último mês, houve 4,7 mil óbitos a mais do que no mesmo mês de 2019.

A secretária municipal de saúde, Beatriz Busch afirmou que a intenção da prefeitura é retomar consultas pelo SISREG na rede municipal e cirurgias eletivas a partir do dia 18.

 

Witzel diz que circulação de pessoas será monitorada
Em sua conta no Twitter, o governador Wilson Witzel disse neste domingo que, desde o dia 13 de março, as medidas de isolamento social salvaram mais de 40 mil vidas. “Hoje, nossa fila de internação para o CTI praticamente está zerada”, afirmou, antes de prestar solidariedade às mais de 6 mil vítimas da Covid-19 no estado.

 

“Agora é o momento de analisar aquilo que já aprendemos para poder flexibilizar essas medidas de restrição à circulação. Abertura da economia é muito importante para que as pessoas possam voltar a trabalhar, para que as pessoas possam voltar a praticar seus esportes individuais e todas as outras [atividades] que nós autorizamos”, acrescentou.

 

“Isso tudo muito controlado. Avaliaremos 24h por dia as medidas que foram tomadas para essas flexibilizações que nós adotamos neste decreto”, finalizou. No tweet, ele escreveu ainda que o estado vai monitorar 24 horas a circulação de pessoas e apoiar os municípios fluminenses.

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU