Justiça do RJ mantém a prisão de suspeita de envenenar enteados


Presa na sexta-feira (20), Cíntia Mariano Dias Cabral passou por audiência de custódia na tarde deste domingo. Defesa diz que pedir a revogação da prisão e que a cliente se diz inocente.

 

A Justiça do Rio de Janeiro decidiu manter a prisão de Cíntia Mariano Dias Cabral, detida em Benfica, na Zona Norte do Rio, desde sexta-feira (21), pela suspeita de envenenar dois enteados com chumbinho no feijão, num intervalo de dois meses.

 

Cintia passou por uma audiência de custódia na tarde deste domingo (22).

 

O advogado Carlos Augusto Santos, que representa Cintia, disse que vai pedir a revogação da prisão e que sua cliente se “declara inocente” e que “em nenhum momento informou ou confirmou o fato”.

 

Relembre o caso
Fernanda Carvalho Cabral, de 22 anos, morreu em março, depois de ficar 13 dias internada.

Bruno, seu irmão de 16 anos, conseguiu escapar e contou ter começado a passar mal depois de um almoço na casa da madrasta, em maio, em que um feijão amargo e com pedrinhas azuis foi servido para ele.

 

Segundo a polícia, a motivação do crime seria ciúmes. O filho biológico de Cíntia teria relatado à polícia que a mãe havia confidenciado a ele ter misturado chumbinho à comida servida aos dois jovens em ocasiões diferentes, mas a defesa nega essa versão.

 

Cíntia chegou a ser hospitalizada após ter supostamente tentado se matar. O advogado não confirmou a informação e disse apenas que ela faz uso de remédios controlados por “problemas psicológicos”.

 

Carlos Augusto falou ainda que a prisão de Cíntia é “totalmente prematura e precipitada” já que, segundo ele, a perícia feita no feijão apreendido na casa da madrasta “deu negativa para substância tóxica”.

 

 

A defesa também nega que tenha sido encontrado chumbinho na residência.

“Ela tem quatro cachorros. O que a polícia encontrou foi Butox, um remédio para carrapato de cachorro”.

 

Sobre a suspeita de participação de Cíntia na morte do ex-marido e de uma vizinha, o advogado disse não teve acesso às investigações sobre o caso.

 

“Só sei que ele morreu de AVC. Sobre a vizinha, não sei nem o nome dela”.

 

Durante a internação de Fernanda, Cíntia chegou a postar um vídeo com uma música gospel, uma foto da enteada e a mensagem: “Você vai vencer! Eu creio”.

 

Ela ainda fez outras quatro postagens. Sempre com orações, mensagens de fé e esperança e a certeza de que Fernanda se restabeleceria.

 

A empresária Jane Carvalho Cabral, mãe dos dois jovens, prestou queixa na 33ª DP (Realengo) após ouvir o relato do filho indicando que a madrasta havia acrescentado alguma substância tóxica à refeição que lhe foi servida.

 

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU