IPVA fica mais caro em 2022; alta do preço de carros novos e usados é o ‘vilão’


Base de cálculo do imposto leva em conta valor venal de usados ou da nota fiscal de novos. Ambos subiram com aumento do custo de produção e redução da oferta de veículos causados pela pandemia.

Além do combustível mais caro, os proprietários de veículos enfrentam um novo desafio no início de 2022. O Imposto sobre Propriedades de Veículos Automotores (IPVA) deve ficar mais caro no ano que vem, acompanhando a valorização de carros novos e usados.

 

Cada estado tem uma alíquota diferente de IPVA (que não foi reajustada), mas todos levam em conta o valor venal de veículos usados — calculado por meio da tabela Fipe — ou o da nota fiscal de compra, no caso dos veículos dos 0km. E, diferente da lógica de anos anteriores, ambos acumulam uma expressiva valorização em 2021.

 

No último dado disponível da Fipe, o preço dos usados subiu mais de 31,8% em 12 meses. No mesmo período, os modelos novos tiveram alta de 19,3%.

 

O preço mais salgado é resultado do choque na cadeia produtiva de automóveis, causado pela pandemia do coronavírus.

 

As medidas de isolamento social demandaram a paralisação tanto de linhas de produção de veículos como de insumos para a produção, como os chips semicondutores (que também abastecem a indústria de eletrônicos, por exemplo).

 

Houve, portanto, um aumento de custo de produção junto com uma redução da oferta. A equação esvaziou os estoques de novos nas concessionárias e aumentou a procura por usados. Com o aumento de preço, sobe junto a base de cálculo do IPVA de 2022, ainda que a alíquota do imposto siga a mesma.

 

Como calcular
Para se preparar para o gasto extra, os proprietários de veículos precisam consultar a alíquota de seu estado e aplicar ao valor na tabela Fipe. O percentual vai de 1% a 6%.

 

Como exemplo, o g1 fez uma simulação com o líder de vendas Chevrolet Onix. Um modelo 2018 (Joy 1.0 Flex) passou de R$ 35.947,00 em novembro de 2019 — antes da pandemia — para R$ 46.542,00 no mesmo mês de 2021.

 

Considerando a alíquota do estado de São Paulo, por exemplo, de 4%, um IPVA calculado em cima destes valores passaria de R$ 1.437,88 para R$ 1.861,68. O aumento é de 29,4%, enquanto a inflação até setembro deste ano (último dado disponível) acumula 12,8%.

 

Já no Distrito Federal, onde a alíquota é de 3%, o IPVA do mesmo veículo passaria de R$ 1.078,41 para R$ 1.396,26.

 

Além da consulta à tabela Fipe e cálculo do valor, o proprietário precisa buscar as regras de seu estado para entender descontos do pagamento à vista. O parcelamento do valor integral, em geral, é feito de três a seis prestações.

 

Carros entre 15 e 20 anos de idade podem estar isentos, também a depender do estado. Todas as regras podem ser encontradas no Detran de cada unidade da federação.

 

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU