1º Festival de Peixes e Frutos do Mar comercializa quase três toneladas de pescado


Com a presença de responsáveis dos 18 restaurantes participantes, a Prefeitura de São Francisco de Itabapoana e a Fundação Instituto da Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj) divulgaram nesta quarta-feira (15) o balanço da primeira edição do Festival de Peixes e Frutos do Mar, realizado entre os dias três e sete deste mês. Durante os cinco dias, mais de 2,8 toneladas de pescado foram comercializados, movimentando diretamente, pelo menos, R$ 310 mil.

 

 

 

Durante o evento, realizado no Teatro do Complexo Cultural, a prefeita Francimara Barbosa Lemos, junto com secretários, assessores e vereadores, entregou os certificados de participação aos comerciantes.

 

“O festival foi mais um exemplo de que acreditando no nosso potencial e nos mobilizando com união, conseguimos valorizar o que SFI tem de melhor. Isso se refletiu no sucesso relatado pelos comerciantes”, disse a prefeita.

 

Representante da Fiperj, o extensionista Luís Bernarbe revelou que o munícipio está em destaque no Estado e nacionalmente. Ele ressaltou a importância da integração estabelecida pelo governo municipal a partir do apoio aos comércios. “O objetivo principal do festival foi alcançado: incentivar o consumo do pescado de SFI. Certamente, o evento fica de legado para a área”, pontuou, anunciando que no próximo dia sete, a prefeita assinará o termo de cooperação técnica com a Fiperj para aprimorar a assistência prestada.

 

O vice-prefeito, Raliston Souza, destacou que a força do comércio do município foi evidenciada. A dedicação do setor foi destacada ainda pelo assessor da Secretaria Municipal de Turismo, Indústria e Comércio, Gabriel Queiroz. Já o subsecretário municipal de Pesca, João da Ótica, pontuou sobre o trabalho intenso dos pescadores são franciscanos, já que em alguns momentos o estoque dos estabelecimentos esgotou devido à alta demanda. Fornecedores artesanais que costumam vender 3kg semanalmente aumentaram as vendas para 14kg.

 

No decorrer de sua fala, o secretário municipal de Pesca, Alcemir de Souza, afirmou que as próximas edições pretendem englobar a participação de hotéis e pousadas, incentivando um maior tempo de permanência do turista. Paralelamente, o vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Alexandre Barrão representou os demais parlamentares e afirmou que o festival mostrou que “turismo pensado com visão e incentivo do poder público movimenta todo os setores do comércio local, gerando emprego e renda”.

 

O ex-prefeito Frederico Barbosa Lemos lembrou a visita de atores globais durante o evento, que representa a presença significativa de turistas. “Nossa cidade possui o maior potencial de crescimento das regiões Norte e Noroeste fluminense”, considerou.

 

Avaliação dos comerciantes — O proprietário do Qcké Restaurante Praia Hotel, José Sousa, relatou: “Nunca tivemos um movimento como naqueles cinco dias. Nem mesmo em réveillon e carnaval”. Já o dono do Bar Restaurante Salazar, Salazar Moreira, parabenizou Francimara e Raliston por “terem a visão de incentivar o turismo”. Ele estimulou uma maior união entre os donos de estabelecimentos do ramo.

 

A possibilidade de atrair novos clientes foi uma característica do festival citada por muitos, como o dono do Boteco do Mário, Mário Oliveira. Ronaldo Rodrigues, do Chalézinho Bar, observou que foi uma oportunidade para impulsionar os comerciantes, que sofreram as consequências do distanciamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU