Prefeitura prorroga a Fase 5 da flexibilização no Rio; teatros e cinemas seguem fechados


Em 15 dias, nova reunião irá definir se cidade pode avançar para a Fase 6. Eventos corporativos estão liberados e hospitais de campanha serão desmontados dia 20.

A Prefeitura do Rio anunciou neste domingo (16) que a Fase 5 do plano de flexibilização das medidas de isolamento social na cidade será prorrogada por mais 15 dias. Estão liberados eventos corporativos no município, mas cinemas, teatros e casas de eventos seguem proibidos de funcionar.

 

 

A secretária municipal de Saúde, Ana Beatriz Busch, atribuiu a decisão a uma necessidade de os setores se organizarem. Fora isso, Busch garantiu que sete indicadores avaliados pelo comitê científico do município já apontavam ser possível avançar para a Fase 6 do plano.

 

 

Também na coletiva, no Riocentro, na Zona Oeste, foi anunciado que estão liberados os eventos corporativos. Os eventos culturais ainda serão avaliados e será apresentado um planejamento para a retomada deles. Sendo assim, teatros e cinemas seguem proibidos de funcionar.

 

 

O prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) aproveitou a coletiva para fazer um apelo aos mais jovens, se referindo principalmente aqueles que têm se aglomerado em bairros nas zonas Sul e Oeste. Crivella pediu que eles não se reúnam em bares e outros pontos para evitar um aumento na carga viral na cidade.

 

 

Ao apresentar os dados sobre a Covid-19, o comitê da prefeitura informou que ainda não é possível avaliar o impacto sobre a reabertura dos pontos turísticos na cidade – autorizados a funcionar no sábado (15).

 

 

Em relação as escolas particulares, foi lembrado que a reabertura está suspensa por decisão judicial, que também vale para cursos extracurriculares.

 

 

Sobre a liberação dos eventos corporativos no município, o superintendente de educação da Vigilância Sanitária do Rio, Flávio Graça, explicou que estão autorizados os eventos de negócios, como workshops, assembleias e congressos.

 

 

A prefeitura ainda não deu detalhes sobre o protocolo para a realização dos eventos corporativos, como número de participantes e distanciamento entre as cadeiras.

 

Hospitais de Campanha

Durante a coletiva, Crivella também divulgou um calendário com as datas previstas para a desmobilização dos hospitais de campanha.

 

A previsão é que o Hospital de Campanha Lagoa-Barra, que conta com 100 leitos de enfermaria e 100 de UTI, pare de funcionar no próximo dia 20.

 

Já a unidade Parque dos Atletas deve encerrar suas atividades no dia 11 de setembro. No local, funcionam 116 leitos de enfermaria e 84 de UTI.

 

Flexibilização

O município vem flexibilizando o isolamento desde o dia 2 de junho. A retomada foi dividida em seis fases, com previsão de duração de 15 dias cada, caso a curva de contaminações e mortes por Covid-19 se mantivesse estável.

 

Neste período, algumas mudanças ocorreram, como a volta das aulas nas escolas particulares, que chegou a ser liberada pela prefeitura do Rio, mas uma decisão da Justiça determinou que os colégios da rede privada continuassem fechados.

 

Fase 1:
Atividades esportivas em centros de treinamento;
Atividades esportivas nos calçadões;
Atividade aquática individual no mar ( como natação ou surfe);
Celebrações em igrejas (com protocolo de desinfecção);
Lojas de móveis e decorações;
Concessionárias de automóveis.
Na primeira fase, não foram permitidas atividades na faixa de areia, como o aluguel de barracas de praia ou as escolinhas de esportes. Saunas e piscinas continuam vedadas.

 

Fase 2:

Shoppings entre 12h e 20h, com restrições de movimentação;
Competições esportivas com portões fechados.

Fase 3:

Todos os comércios, com restrição de circulação;
Bares e restaurantes abertos, com 50% da capacidade;
Academias abertas com agendamento e distanciamento;
Luta e dança, sem contato físico;

Atividades de crossfit;
Creches, desde que pais estejam trabalhando;
Salões de beleza, tatuagem e estética, com restrições;
Praias e parques abertos, sem aluguel de cadeira e barraca;
Áreas de lazer;

Atividades culturais em espaço aberto, sem aglomeração;
Competições esportivas com com portões fechados.

Fase 4:

Pontos turísticos com um terço da capacidade;
Atividade em espaço cultural fechado, com restrição de capacidade.

Fase 5:

Diminuição de restrições de capacidade em quase todos setores (bares, restaurantes, estádios, cinemas, etc);
Liberação de banhista nas praias, mas apenas na água;
Parques abertos, sem aglomeração.

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.