Presidente, Jair Bolsonaro, participou, nesta sexta-feira (31), do lançamento de um condomínio popular em Bagé,


O presidente da República, Jair Bolsonaro, participou, nesta sexta-feira (31), do lançamento de um condomínio popular construído com recursos federais, em Bagé, na Região da Fronteira do Rio Grande do Sul. O presidente chegou ao local por volta das 15h15.

“Eu já estou imunizado, se alguém quiser apertar a minha mão”, disse Bolsonaro.

 

O presidente elogiou o prefeito, Divaldo Lara (PTB), por não ter fechado o comércio na cidade e disse estar preocupado com a situação econômica durante a pandemia. Bagé está na bandeira laranja do distanciamento controlado, com risco médio para a disseminação da doença.

 

Bolsonaro descerrou a placa do residencial e entregou as chaves das primeiras unidades habitacionais. Recebido por uma das moradoras e seu filho, o presidente pegou a criança no colo.

 

Ele distribuiu autógrafos, pegou presentes de moradores, apertou as mãos dos participantes e chegou a abraçar um dos moradores. Durante conversa com jornalistas, Bolsonaro defendeu o uso da cloroquina, mesmo sem comprovação científica.

 

Mais cedo, ao descer do avião usando máscara, ele mostrou uma caixa do remédio para as pessoas que o aguardavam, e as cumprimentou apertando a mão. O medicamento, associado pelo presidente à Covid-19, não tem eficácia comprovada contra a doença, segundo diversos estudos científicos.

 

Foram entregues 1.164 moradias, construídas pelo programa de habitação popular do governo federal, com investimento de R$ R$ 87,3 milhões. São quatro unidades – Espanha II e III e BG I e II -, localizadas no bairro Tarumã. O governo federal investiu R$ 87,3 milhões em investimentos federais. Mais de 4,6 mil pessoas residirão no local.

 

Logo após a cerimônia, Bolsonaro tirou a máscara, montou em um cavalo e ergueu a bandeira do Rio Grande do Sul em meio a uma aglomeração de pessoas. 

 

Segundo um decreto publicado pela Prefeitura de Bagé, pessoas que não usarem máscara na cidade podem ser punidas com uma multa de R$ 972,30. Conforme o município, para aglomeração em lugares abertos, não há multa, apenas pedido de dispersão.

 

O presidente embarcou de volta para Brasília por volta das 17h.

Chegada a Bagé
Bolsonaro saiu de Brasília em um avião com outros políticos. Entre eles estavam o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno, prefeito de Bagé, Divaldo Lara (PTB); e os deputados federais Mauricio Dziedricki (PTB), Ubiratan Sanderson (PSL), Daniel Trzeciak (PSDB), Ronaldo Santini (PTB) e Bibo Nunes (PSL).

 

Nas redes sociais, o grupo publicou fotos dentro do avião em que aparecem uns próximos dos outros e muitos não usavam máscaras.

O presidente desembarcou em Porto Alegre, por volta das 10h30, em um avião presidencial, e pegou outra aeronave para se deslocar até a cidade. No aeroporto, dezenas de pessoas aguardavam a comitiva e houve aglomeração.

O presidente ainda visitou o 3º Regimento de Cavalaria Mecanizado, por volta das 13h. O evento foi fechado para convidados e não teve a participação da imprensa.

 

Retorno da agenda pública após se recuperar da Covid-19
Este é o segundo dia que Bolsonaro participa de eventos públicos depois de se recuperar da Covid-19. Na quinta-feira (30), o presidente esteve no Piauí e na Bahia. Bolsonaro divulgou que testou positivo para o novo coronavírus no dia 7 de julho. No último sábado (25), ele anunciou que não estava mais com a doença, após se submeter a um novo teste.

No aeroporto de São Raimundo Nonato, no Piauí, o presidente montou em um cavalo, em meio a uma aglomeração de apoiadores, e tirou a máscara que usava no rosto, após descer do avião presidencial, ainda na área externa do terminal.

 

Ele tocou nas mãos das pessoas presentes, e ainda pegou em um microfone para falar com a multidão. O uso de máscaras é obrigatório no estado do Piauí, por decreto estadual.a

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.