Estudante de Fisioterapia morre em acidente de lancha na baía de Vitória


Bruna França Zocca, de 25 anos, era noiva do dono da lancha que se chocou contra um píer na altura da Ilha do Príncipe, na tarde deste sábado (25).

A estudante de fisioterapia Bruna França Zocca, de 25 anos, morreu em um acidente de lancha ocorrido no final da tarde de sábado (25) na altura da Ilha do Príncipe, na baía de Vitória.

 

Informações da Polícia Militar apontam que, por volta das 18 horas, a lancha na qual sete tripulantes estavam se chocou contra o píer de uma empresa. A estrutura de aço é utilizada para atracação no Porto de Vitória.

 

Bruna estava na parte da frente no momento do impacto e morreu no local. Ela era noiva de José Silvino Pinafo, que conduzia a embarcação e era habilitado. De acordo com a família de José, ele fraturou as costelas e teve os pulmões perfurados no acidente.

 

O Corpo de Bombeiros informou que três pessoas foram socorridas e levadas para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória. Segundo familiares, José Silvino é o único dos tripulantes que permanece internado no hospital.

 

Após a colisão, a lancha foi rebocada para as proximidades do Sambão do Povo, a fim de facilitar o socorro dos feridos. A embarcação tem quase dez metros e capacidade para 12 passageiros.

 

Fernando Monjardim Junior, que é dono da marina onde a lancha fica, ajudou a socorrer as vítimas. Ele afirma que o casal havia saído da marina por volta do meio dia para um passeio familiar junto com os filhos de José Silvino e amigos.

 

Fernando acredita que o piloto estava navegando próximo à margem por uma questão de segurança, mas, como já estava escurecendo, não viu o píer no caminho.

 

“Quando ele avistou a ponte, tentou tirar o motor, mas a lancha não passou por debaixo da plataforma, quebrando a parte superior da lancha e arremessando destroços pra cima. O filho dele me ligou para pedir socorro. Eu estava com uma lancha na água e em três minutos cheguei ao local do acidente”, contou ele, que foi quem levou a lancha até a marina para facilitar a retirada dos feridos.

 

Corpo será velado em Baixo Guandu
Na manhã deste domingo (26), Marta Cristina França, de 50 anos, que é tia da estudante morta no acidente, esteve no Departamento Médico Legal (DML) para liberar o corpo da jovem.

 

Em entrevista à TV Gazeta, a tia contou que a sobrinha namorava o dono da lancha. “Eles se apaixonaram, se encontraram e foi muito bom para ela e para ele”, disse.

Segundo Marta, Bruna havia saído do município de Baixo Guandu, no Noroeste do Espírito Santo, para estudar na Grande Vitória. O corpo da jovem será velado em sua cidade natal. Já o sepultamento será feito em Itaguaçu, na Região Serrana, onde moram os avós de Bruna.

 

“Minha sobrinha era uma menina linda, a minha princesinha. Guerreira, universitária, veio de Baixo Guandu para lutar. Deixou a mãe e o pai para estudar, trabalhar. Estava na flor da idade e aconteceu isso. Deus sabe de todas as coisas”, lamentou.

 

As causas do acidente serão investigadas pela Capitania dos Portos do Espírito Santo. Peritos estiveram no local na manhã deste domingo (26).

 

“A Marinha lamenta o ocorrido, se solidariza com as famílias das vítimas e ressalta que as causas e responsabilidades do acidente, sob o ponto de vista da Autoridade Marítima, serão apuradas por meio de Inquérito Administrativo específico, do qual fazem parte, entre outros procedimentos, a realização de perícias na embarcação e de oitivas dos envolvidos”, informou a instituição em nota.

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.