RJ começa a testar o uso de plasma sanguíneo no tratamento da Covid-19


Transfusão usa plasma de paciente já curado, com anticorpos, está sendo testado em três pacientes do Instituto Estadual do Cérebro.

O Rio começou a testar, neste fim de semana, o uso do plasma sanguíneo em pacientes graves da Covid-19. Duas mulheres e um homem que estão internados no Instituto Estadual do Cérebro (IEC) receberam a transfusão de plasma de um doador já curado da doença, mas que carrega anticorpos contra o coronavírus.

O evento Rolezinho no Hemorio, convoca pelas redes sociais a população a doar 450 litros de sangue, como parte das atividades de comemoração aos 450 anos da cidade.(Fernando Frazão/Agência Brasil)

Segundo o diretor do Hemorio, Luiz Amorim, já há 621 pessoas que se curaram da Covid-19 e se cadastraram para fazer a doação de plasma – que é a parte líquida do sangue.

 

Nesta quarta-feira (22), o Hemorio vai começar a coleta desse material.”Pretendemos usar o procedimento em cem pacientes. Aí de fato teremos evidências se esse tratamento funciona ou não. É claro que a gente está muito esperançoso, mas tem de deixar bastante claro que ninguém tem certeza se vai funcionar ou não.

 

A partir de amanhã a gente vai começar a coletar um número grande de plasma por dia. E a gente não vai esperar resultado”, disse Amorim.

 

Os primeiros resultados do tratamento devem ocorrer ainda nesta semana, já que começam a aparecer três dias após o procedimento. A transfusão nos pacientes graves do IEC ocorreu no fim de semana.Para ser um doador de plasma, a Covid-19 tem de ter sido constatada por exames.

O doador tem de ter entre 18 e 60 anos, estar curado e sem sintomas há pelo menos 14 dias. Cada doador pode doar plasma para até três pacientes, dependendo da quantidade de anticorpos.O Hemorio tem capacidade para colher o plasma de até oito pessoas por dia.

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU