Funcionários dos Correios entram em greve


Os funcionários dos Correios entraram em greve geral por tempo indeterminado. A greve foi decretada na noite desta terça-feira (10) em assembleias realizadas em diferentes estados do país. Até por volta das 13h desta quarta, sindicatos de 23 estados e do DF confirmavam ter aderido à greve.

A Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) afirmam que a greve é geral e que todos os 36 sindicatos de trabalhadores dos Correios aderiram ao movimento.

Em nota, a direção dos Correios afirma que a paralisação é parcial e já colocou em prática um “plano de continuidade de negócios para minimizar os impactos à população”.

A categoria pede reposição da inflação do período e é contra a privatização da estatal, que foi incluída no mês passado no programa de privatizações do governo Bolsonaro.

Os trabalhadores querem também a reconsideração quanto a retirada de pais e mães do plano de saúde, melhores condições de trabalho e outros benefícios.

“A decisão foi uma exigência para defender os direitos conquistados em anos de lutas, os salários, os empregos, a estatal pública e o sustento da família”, afirmou em nota a Findect.

“Mesmo com a mediação do TST, a empresa não recebe os representantes dos trabalhadores há mais de 40 dias e se nega a negociar, pois insiste em reduzir benefícios que rebaixariam ainda mais o salário da categoria, que já é o pior entre todas as estatais”, disse a Fentect.

O que diz a empresa
Segundo os Correios, a greve “não afeta os serviços de atendimento da estatal”. A empresa informou que pela manhã 82% do efetivo total estava trabalhando regularmente.

Em nota, a direção dos Correios informou ter participado de 10 encontros com os representantes dos trabalhadores para apresentar propostas dentro das condições possíveis, “considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões”.

A estatal ainda não divulgou balanço sobre os impactos da greve, mas fala em “paralisação parcial”. “O principal compromisso da direção dos Correios é conferir à sociedade uma empresa sustentável”, acrescentou.

Ainda segundo a empresa, a paralisação dos funcionários “agrava ainda mais a combalida situação econômica da estatal”. “Os Correios contam com a compreensão e responsabilidade de todos os seus empregados, que precisam se engajar na missão de recuperar a sustentabilidade da empresa e os índices de eficiência dos serviços prestados à população brasileira”, completou.

Parte dos funcionários do Correio entram em greve em Ribeirão Preto (SP) — Foto: Vinícius Alves/CBNParte dos funcionários do Correio entram em greve em Ribeirão Preto (SP) — Foto: Vinícius Alves/CBN
Parte dos funcionários do Correio entram em greve em Ribeirão Preto (SP) — Foto: Vinícius Alves/CBN

Veja a situação por estados:

Acre

Cerca de 50% dos carteiros que trabalham em Rio Branco paralisaram as atividades, segundo o Sindicato dos Correios e Telégrafos do Acre (Sintec-AC). Segundo a presidente da entidade, Suzy Cristiny, mais trabalhadores devem aderir ao movimento. O atendimento nas agências não foi paralisado.

A categoria afirma que o acordo coletivo venceu no dia 31 de agosto e não conseguiu outro acordo com a empresa, mesmo com a mediação do Tribunal Superior do Trabalho.

Alagoas

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Correios e Telégrafos em Alagoas (Sintect-AL), estão prejudicados no estado os serviços de entregas, postagem e serviços bancários. A categoria espera que 80% dos trabalhadores participem da mobilização.

Amapá

Funcionários dos Correios no Amapá aderiram na manhã desta quarta à greve geral por tempo indeterminado. Dos 255 trabalhadores do estado, 25 estão concentrados em frente a agência central, em Macapá.

Bahia

As agências permanecem abertas na Bahia, entretanto a entrega de correspondências fica afetada pelo tempo que durar o movimento. A empresa diz, porém, que não há suspensão de nenhum serviço.

O sindicato afirma que a Bahia possui 700 unidades dos Correios. Já a empresa diz que são 470 agências no estado, sendo 33 delas em Salvador. Distrito Federal A agências de atendimento dos Correios amanheceram abertas no Distrito Federal nesta quarta-feira.

A maior adesão ao movimento deve ocorrer no setor de distribuição, segundo a Fentect, o que pode afetar os prazos de entrega de encomendas. O G1 consultou agências localizadas na Asa Sul, na Asa Norte, no Guará, em Samambaia no Sudoeste e em Taguatinga. Todas foram abertas no horário de funcionamento normal, às 9h, sem previsão de alteração. “Historicamente, as áreas que mais participam são as áreas de distribuição (e não o de atendimento)”, explicou o representante da Fentect, Fischer Marcelo Moreira dos Santos.

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.