Comparecimento de 70% dos eleitores no 2º turno é fato a ‘ser celebrado’, diz presidente do TSE


‘Quando começou, temia-se uma abstenção colossal’, afirmou ministro Luis Roberto Barroso, em referência à pandemia de Covid-19.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, afirmou na noite deste domingo (29) que o comparecimento de mais de 70% dos eleitores ao segundo turno das eleições municipais em meio à pandemia de Covid-19 “é fato que merece ser celebrado”. A abstenção atingiu 29,43% — foi de 23,14% no primeiro turno, segundo o TSE.

 

Em razão da pandemia de Covid-19, analistas consideravam que a abstenção (percentual de eleitores que não compareceram para votar) seria elevada.

 

“O índice de abstenção no segundo turno, que tradicionalmente é superior ao do primeiro, foi de 29,47% com os números que tínhamos até agora, faltando [a conclusão da apuração no] estado do Acre. É um numero maior do que desejaríamos, mas é preciso ter em linha de conta que realizamos eleições em meio à pandemia que já consumiu 170 mil vidas, e as pessoas com temor, muitas por estarem com a doença, muito por estarem com medo”, declarou Barroso.

 

Segundo o presidente do TSE, “o ideal é que a abstenção tivesse sido menor”.

 

Nas duas eleições municipais anteriores, a abstenção no segundo turno foi de 21,55% em 2016 e de 19,12% em 2012.

 

Na eleição mais recente, a presidencial de 2018, a abstenção no primeiro turno ficou em 21,30%.

 

No primeiro turno, a abstenção foi de 23,14%. O eleitor que se absteve e não votou no primeiro turno das eleições pôde votar normalmente no segundo turno.

 

Em 2018, a eleição mais recente, a abstenção foi de 20,33% no primeiro turno. Na eleição de 2016, que antecedeu a deste ano, a abstenção no primeiro turno foi de 17,58%.

 

 

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU