Chuvas deixam 51 pessoas desalojadas e gabinete de crise já está atuando em Macaé


Um gabinete de gestão de crise foi baseado no Centro de Convenções de Macaé com o propósito de centralizar informações e otimizar tomada de decisões. Cerca de 51 pessoas foram conduzidas pelo poder público a casas de familiares. Não há desabrigados.  

Ações operacionais para a retomada na normalidade no município e atuação direta e imediata junto às pessoas afetadas pelas chuvas partem do gabinete de gestão de crise, com esforços sobretudo na região serrana, que recebeu concentração de chuvas da ordem de 250mm.

As informações recebidas passam por triagem para que a estrutura seja otimizada. Viaturas comuns, com tração e para passageiros compõem a frota concentrada no local. A Secretaria de Saúde mantém unidades em funcionamento e serviço 192 com quatro pontos estratégicos para atendimento, se preciso.

Depois de ter sido afetada com queda parcial, a ponte de Trapiche, na região serrana, receberá nesta sexta-feira (09/11), estacas de proteção. Para segurança dos moradores, na tarde desta sexta-feira, também está prevista a montagem de uma passarela para pedestres. Já na Estrada da Turma, também na região serrana, as equipes da Secretaria de Interior estão atuando para manutenção do trânsito. 

 A Secretaria Adjunta de Saneamento comunica que restabeleceu o abastecimento de água nas localidades de Glicério, Córrego do Ouro e Trapiche.

Bairros da área central de Macaé estão sem energia elétrica há quase 12 horas. “A situação dos alagamentos em Macaé não é novidade. A cidade é abaixo do nível do mar, o que agrava a situação. Só este ano foram duas enchentes que fez a cidade parar por completo, deixando pessoas sem poder sair de suas casas”, disse o morador Allysson Nogueira acrescenta do que “Há uma série de fatores: a natureza, falta de educação da população que insiste em jogar lixo nas ruas, nos valões, ligações clandestinas nas redes de águas fluviais e também do poder público em investir e pensar em maneiras mais eficaz”, completou.

Trânsito e Transporte – A Secretaria de Mobilidade Urbana informa que na Avenida Aluisio da Silva Gomes (Granja dos Cavaleiros), Linha Vermelha e entorno do Parque da Cidade não há condições de trânsito. Já no entorno da rodoviária o tráfego está normalizando.

Desenvolvimento Social – A Equipe da Secretaria de Desenvolvimento Social está realizando rondas no município, com ênfase em pontos mais afetados como Ilha Leocádia, Nova Esperança, Comunidade Novo Rio, Nova Holanda e Piracema. Não há registro de desabrigados e sim de desalojados, que foram remanejados para casas de familiares e amigos com apoio da Defesa Civil, a exemplo de 51 moradores dos bairros Sol y Mar, São José do Barreto e Visconde que precisaram deixar suas residências.

Em caso de necessidade, a população pode entrar em contato com a Defesa Civil pelo 199. Na região serrana o contato pode ser feito pelo telefone do Destacamento da Defesa Civil em Glicério, 2793-3846. 

Para esta sexta-feira, segundo o coordenador regional de Defesa Civil – Região Litorânea, Erick Schueller, é esperada a descida das águas que caíram na região serrana nas últimas 24 horas, que atingirão bairros como Piracema, Nova Holanda, Botafogo, Malvinas, Ilha Leocádia e arredores da Linha Azul.

Chove forte em Macaé desde a madrugada desta quinta-feira (08/11). O presidente da Câmara Municipal de Macaé, Eduardo Cardoso (PPS), juntamente com os demais vereadores, informou que o Legislativo está à disposição das autoridades competentes para colaborar com as ações que forem necessárias.

A Câmara também se solidariza com os moradores da cidade e da Região Serrana que foram atingidos diretamente com os alagamentos registrados. Com a decretação do estado de calamidade, os parlamentares reforçam que toda a estrutura física e de pessoal poderão ser disponibilizadas para dar suporte aos cidadãos até que a situação seja normalizada.

Fonte: Redação/Ascom

https://static.addtoany.com/menu/page.js

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.