Médico que fez cirurgia estética em cobertura na Barra da Tijuca está foragido


O médico Denis Cesar Barros Furtado, suspeito de realizar um procedimento estético na cobertura de um apartamento na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, que resiltou na morte da bancária Lilian Calixto, 46 anos, é considerado foragido da Justiça. A mãe de Denis também é considerada foragida e a namorada do médico está presa. Ambas também teriam participado do procedimento.

Parentes contaram que Lilian saiu de Cuiabá, no Mato Grosso, onde morava, para fazer um procedimento estético nos glúteos. Durante o procedimento, ela passou por complicações e foi socorrida ao Hospital Barra D’Or em estado extremamente grave, segundo a unidade de saúde, e acabou morrendo na madrugada de domingo (15).

O hospital informou o caso à polícia que fez buscas, na segunda-feira (16), no apartamento onde a cirurgia foi feita. No local, policiais encontraram alguns produtos e cadernos com anotações.

“Em princípio, duas pessoas socorreram a vítima, mas os quatro estavam lá no apartamento. Quando a vítima contratou esse serviço, ela pensou que seria feito num consultório. Como já levantamos, em outras oportunidades, ele faria isso com outra cliente, que acabou desistindo. Lilian recebeu a informação de que seria feito na cobertura dele e lá foi feito. Ele, com a mãe que é médica, que viemos a descobrir que tem o CRM cassado no Rio, a namorada, que é técnica de enfermagem, e uma pessoa que também trabalhava com eles, participaram. No mesmo dia que foi informado o óbito, descobrimos que ele não poderia estar trabalhando aqui. O CRM dele é de Goiânia e Brasília”, disse a delegada Adriana Belém, da 16ª DP (Barra da Tijuca).

Segundo a delegada, Denis dizia que tinha uma clínica num shopping no Rio de Janeiro, que está inscrita na prefeitura como um salão de beleza. A polícia também pediu mandado e realizou busca e apreensão no local. Foram encontrados medicamentos escondidos.“Funcionários disseram ser um salão de beleza. Na realidade a maior parte dos medicamentos, apreendemos na casa dele”, disse a delegada.

O presidente do Conselho Regional de Medicina (Cremerj) Nelson Nahon disse que, por não ter CRM no Rio de Janeiro, ele não tem autorização para trabalhar no estado. E o procedimento jamais poderia ser feito num apartamento.

“Isso serve de alerta para a população, para tomar cuidado. Procedimentos médicos, cirúrgicos, estéticos só podem ser feitos em clínicas ou hospitais que são aparelhados para isso”, disse Nahon.

O enteado da vítima, Alessandro Jaberce diz que ela era muito vaidosa e veio fazer uma cirurgia para aumentar o bumbum. O médico responsável é conhecido nas redes sociais e tem mais de 600 mil seguidores. Ele oferece diferentes serviços de estética no Rio, em São Paulo e em Brasília.

“A gente tinha informação de que o procedimento era em clínica. Chegamos aqui fomos surpreendidos. O procedimento foi feito na casa dele, na cobertura dele. A cirurgia ia ser feita em Brasília, mas de última hora foi mudada para o Rio de Janeiro. Não sei o motivo, só sei que foi feito num apartamento e isso não entra na nossa cabeça”, disse o enteado.

Pouco depois da cirurgia Lilian começou a passar mal. Os parentes disseram que ela voltou a procurar o médico, que levou a paciente para o hospital particular Barra D’Or na noite de sábado (14). O hospital informou que ela morreu duas horas após dar entrada na unidade. O hospital informou o caso à polícia.Fonnte:G1
       Página inicial     

https://static.addtoany.com/menu/page.js

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU