Produção de petróleo no pré-sal ultrapassa pela primeira vez a do pós-sal


    A safra de boas notícias da cadeia petrolífera foi revigorada com o aumento da produção de petróleo do pré-sal em junho, que superou pela primeira vez o volume extraído nos campos do pós-sal no país, segundo informou ontem a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis). 

  Os campos do pré-sal produziram no mês passado uma média de 1,352 milhão de barris por dia, acima dos 1,321 milhão de barris produzidos em poços do pós-sal, segundo a ANP. Ao todo, a produção de petróleo no Brasil foi de 2,675 milhões de barris/dia, um crescimento de 0,8% na comparação com o mês anterior, e de 4,5% em relação ao mesmo mês em 2016.
   O pré-sal compreende poços que de petróleo localizados abaixo de uma extensa camada de sal no subsolo marinho do Espírito Santo até Santa Catarina. Um dos campos do pré-sal recentemente encontrados está na Bacia de Campos, onde a Petrobras descobriu este ano boa qualidade e um volume significativo em Albacora, um dos campos gigantes do pós-sal descoberto, em 1984, a 100 quilômetros do Cabo de São Tomé. Essa é a maior descoberta do pré-sal já feita na Bacia de Campos.    Para Wellington Abreu, consultor na área de tributação e ex-superintendente de Petróleo e Tecnologia de São João da Barra, o pré-sal pode ser um divisor de águas. — A Petrobras está efetuando desinvestimentos na totalidade de exploração em 30 concessões em cinco estados, todas em águas rasas, inclusive 14 na Bacia de Campos. 
   O pré-sal pode ser um divisor de águas quanto à economia do país, fora o agronegócio. É o filho caçula e “temporão” do país desde 2005. Algumas teorias da conspiração falam até que é o motivo de tanta briga em Brasília e negociações no exterior.      E a Lava Jato resolveu aparecer logo agora, na fase da “adolescência” do caçula — suspeitou. — O “caçula” vem suprindo a queda do pós-sal há algum tempo, barreira já prevista até para antes de junho de 2017, mesmo com o grau de investimento que baixou. 
  Nossa região precisa se aproveitar da crise e criar, é hora dos planejadores planejarem e os administradores administrarem. Os “adultos” precisam se valer com a responsabilidade que lhes foi conferida — concluiu Abreu.(A.N.)
Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU