Prefeitura de SFI incentiva fruticultura no município através da produção do supermaracujá


Projeto consiste em distribuir mudas de maracujá híbrido para produtores rurais da região através das associações de moradores.

SFI é um município propício para o cultivo, o que lhe confere o título de ser o primeiro produtor de aipim do Estado do Rio de Janeiro. A prefeitura através da secretaria de Meio Ambiente, em parceria com a secretaria de Agricultura e órgãos como Emater, Embrapa, Uenf e Uff, pretende resgatar o potencial para a fruticultura da região com o projeto de produção de mudas de maracujá BRS Gigante Amarelo F1: mais resistentes a pragas e com uma melhor produtividade. Além das mudas, os produtores receberão adubo, substratos e todas as informações técnicas necessárias para dar continuidade ao plantio.

A prefeita Francimara explica que o objetivo principal deste novo projeto é procurar alternativas agrícolas que sejam viáveis para o município e que agreguem as associações de moradores, promovendo a fixação das famílias no campo. “Nosso município é eminentemente agrícola e meu governo tem um olhar especial para estas questões; faremos o possível para auxiliar nossos produtores rurais. A cultura do maracujá é uma importante alternativa de geração de emprego e renda e uma importante opção para pequenos e médios produtores, principalmente aqueles ligados à agricultura familiar”, enfatizou a prefeita, acrescentando ainda que a busca de alternativas favoráveis para o produtor rural tem sido uma das grandes prioridades da sua gestão.

A prefeitura já adquiriu 11.300 mudas da espécie, cultivadas com técnicas de adubação especializada na estufa das secretarias de Meio Ambiente e Agricultura, localizada na localidade de Praça João Pessoa. Segundo o Secretário de Meio Ambiente, Defesa Civil e Ordem Pública Ilsomar Soares Filho  as mudas ficarão prontas para plantio dentro de 30 dias. “Com o decréscimo do cultivo de maracujá nos últimos anos no município, devido a inúmeros fatores como falta de investimentos dos governos anteriores, pragas diversas etc, procuramos uma forma de reavivar o cultivo do maracujá na região com uma muda mais qualificada e uma semente de maior qualidade, além da inclusão de novas tecnologias, orientações técnicas e treinamentos. No passado já fomos os primeiros no estado em termos de produção e pretendemos resgatar isso”, explica o secretário, acrescentando que o custo médio por muda para o produtor será de aproximadamente R$ 0,20, valor cobrado para subsidiar a aquisição de substrato para o plantio.
 Parcerias
Ilsomar acrescenta ainda que a parceria entre as secretarias de Meio Ambiente e Agricultura no lançamento do projeto visa suprir duas demandas que há no cultivo de frutas: a retirada de defensivos agrícolas e a busca de conhecimento através de instituições parceiras, para identificar pragas e trabalhar em cima delas antes mesmo de dizimarem plantações. “Faremos um mapeamento, ou seja, anteciparemos a praga antes mesmo dela se instalar”, explicou.
Maracujá e mamão híbridos

A espécie maracujá BRS Gigante Amarelo F1 vem fazendo muito sucesso entre os produtores de maracujá do país. Desenvolvido pela Embrapa , o supermaracujá tem uma produção acima da média. “São 40 frutos por floração, além de um excepcional aproveitamento: já em que cada maracujá são extraídos meio quilo de polpa, sem a casca, além de ser uma espécie altamente resistente”, disse o secretário. “Deixaremos gradativamente as outras espécies que dão problemas e conscientizaremos o produtor a não fazer mudas dessas espécies em casa, sujeitas as mais variadas pragas que podem ser disseminadas para outras plantações”, completou. Para o secretário o caminho é trazer para o município outras espécies de frutas híbridas, mais resistentes e produtivas, como o mamão Bela Nova F1,“ semana que vem chegam 1.000 sementes dessa nova espécie”, finalizou Ilsomar.
Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU