Nova audiência de Garotinho marcada para o dia 3 de abril


  Ururau
Militantes fizeram oração e cantaram louvores em frente ao fórum
O ex-governador do Estado do Rio de Janeiro e ex-secretário de Governo da Prefeitura de Campos, Anthony William Garotinho Matheus de Oliveira, chegou às 13h ao Fórum Maria Tereza Gusmão de Andrade no início da tarde desta segunda-feira (20/02). Ele é acusado de liderar o “esquema”  que utilizou o Programa Cheque Cidadão para comprar votos nas eleições de 2016, motivo esse que resultou em sua prisão em novembro do ano passado. 
Além do ex-governador também estavam previstos depoimentos de 32 testemunhas, mas a audiência foi encerrada duas horas e meia depois de ser iniciada no auditório da 2ª Vara da Família e presidida pelo juiz Ralph Machado Manhães Júnior. As oitivas das testemunhas foram remarcadas para o dia 3 de abril. 
A audiência começou às 13h25 e aconteceu sem a presença da imprensa. Pouco mais de duas horas após o início, a imprensa foi liberada para acompanhar, porém, sem o uso de equipamentos eletrônicos, mesma determinação imposta pelo magistrados a defesa de Garotinho, ali representada por cinco advogados. A advertência foi feita no início pelo juiz que esclareceu às partes que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) não permite gravação audiovisual como prever o novo Código de Processo Civil (CPC). 
Durante a audiência, Garotinho pediu a palavra uma vez quando solicitou que fosse revogada a medida imposta por Ralph Manhães que o proibiu de se manifestar a cerca da Operação Chequinho, como ficou conhecido o processo, pelos meios de comunicação. Assim como o juiz, o Ministério Público também se posicionou contrário ao pedido, e manteve a decisão anterior. 
A única autorização que Garotinho conseguiu foi para visitar a mãe, mesmo assim assegurando que seu retornou à capital acontecesse ainda nesta segunda-feira. 
ALEGAÇÕES DA DEFESA
O advogado Fernando Fernades solicitou que fosse concedido novamente o prazo de defesa prévia, sob a alegação de que não houve intimação pessoal do réu para tal fim, após ter sido ultrapassado o prazo para o advogado. Também requereu que a Polícia Federal apresente nos autos cópias das mídias para fornecimento das mesmas, já que estas estão criptografadas, para a defesa e para o Ministério Público, que não se opôs a defesa prévia e as cópias das mídias, entretanto requereu a presença de todos na nova audiência.

Diante dos argumentos, Ralph Manhães  concedeu prazo e a defesa prévia terá de ser feita entre os dias 7 e 9 de março. Também deferiu que sejam fornecidas cópias das mídias, sem estarem criptografadas, que deverão ser entregues no cartório até o dia 23 do mês corrente. Ainda em sua decisão, o juiz deferiu segredo de justiça com relação às medidas cuatelares referentes às escutas telefônicas, ressaltando que muito deste material já foi acessado e tornou-se público.
Também estavam presentes na audência, o presidente da 12ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/Campos) Humberto Nobre, o Conselheiro da Prerrogativa, Cristiano Sampaio, além dos seis promotores do Ministério Público. A audiência terminou às 16h18. 
A CHEGADA 
Acompanhado da esposa, Rosinha Garotinho e de seus filhos, o ex-governador chegou pontualmente às 13h. Na frente do fórum, militantes, ex-secretários e ex-vereadores realizaram um ato de apoio ao Garotinho com orações e louvores. 

A ex-prefeita de Campos, saiu do fórum às 13h20 com seus filhos. Já durante a saída do ex-governador, os presentes no ato cantaram o Hino Nacional Brasileiro. A imprensa tentou ouvir Garotinho, mas ele disse que estava proibido de falar sobre o assunto. 
Entre as testemunhas estava a radialista Beth Gonçalves dos Santos Fernandes, conhecida como Beth Megafone, que foi a primeira a chegar. Ela estava acompanhada de quatro policiais federais. 


 Fonte:Ururau
Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU