Tropa do Exército chega ao Rio para ajudar na segurança


  Reprodução
No decreto publicado no Diário Oficial desta terça, as tropas permanecerão do dia 14 até o dia 22 de fevereiro
A cidade do Rio de Janeiro amanheceu nesta terça-feira (14/02), com reforço no policiamento, das tropas armadas do Exército. Os militares começaram a atuar à meia-noite.
O presidente Michel Temer autorizou o uso das Forças Armadas no Rio de Janeiro para auxiliar o policiamento das ruas em meio à mobilização das mulheres de policiais militares, iniciada na última sexta-feira (10/02). O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, foi recebido por Temer, no Palácio do Planalto, para discutir o assunto.
No decreto publicado no Diário Oficial desta terça, as tropas permanecerão do dia 14 até o dia 22 de fevereiro.  Embora a Força Nacional já tenha chegado, a presidência não divulgou alguns detalhes, como quantos militares se deslocarão para o Rio e em quais localidades eles ficarão.
A autorização é a mesma concedida na semana passada para uso das tropas no Espírito Santo, onde familiares de policiais impediam a saída de viaturas.
Na manhã desta segunda-feira (13/02), no Centro do Rio, manifestantes acampados bloquearam a saída do prédio do Batalhão de Choque, onde funcionam unidades como o Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos. Segundo a corporação, 28 das 100 unidades têm manifestações, por melhores condições de trabalho, pelo pagamento do 13º salário e pelo regime adicional de serviço (RAS).
PROTESTO

Familiares de policiais militares estão nas portas de batalhões desde a semana passada. Uma reuniãono fim de semana entre o comando da PM e esses parentes de policiais terminou sem acordo.

Até o fim da tarde de domingo (12/02), os familiares de PMs se concentravam nas portas de 29 dos 100 batalhões do estado. Segundo a PM, esses batalhões têm recebido apoio de outras unidades.
Em Campos, após fazerem uma vigília e acamparem na porta do 8° Batalhão de Polícia Militar (BPM), o grupo de mulheres deixou o local na manhã do último sábado (11/02), por volta das 11h. O protesto pacífico teve início na sexta-feira (10/02) e, apesar das manifestantes bloquearem a frente da unidade, o policiamento no município e, em toda área de abrangência do 8° BPM (São Francisco de Itabapoana, São João da Barra e São Fidélis) não foi prejudicado, já que as viaturas saíam pelos fundos do quartel.
Houve protesto também em Macaé, que perdeu a força após o prefeito da cidade, Dr. Aluízio (PMDB), informar ao comando da corporação que assumiria o compromisso de pagar o 13º salário dos cerca de 700 PMs do batalhão. 
FORÇA NACIONAL

Cerca de 80 militares da Força Nacional já estão no Rio de Janeiro desde dezembro do ano passado para reforçar a segurança do Palácio da Guanabara, sede do governo estadual, e de rodovias no estado.


 Fonte: G1 Rio
Print Friendly, PDF & Email

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MENU